Última hora

Última hora

Sudão liberta mulher condenada à morte

Em leitura:

Sudão liberta mulher condenada à morte

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades sudanesas anunciaram que a libertação de uma mulher condenada à morte por apostasia estaria para breve.

A notícia foi avançada por um alto funcionário do ministério sudanês dos negócios estrangeiros.

Meriam Yahia Ibrahim Ishag, de 27 anos, encontra-se detida numa prisão para mulheres situada nas proximidades de Cartum.

Na terça-feira passada deu à luz uma bebé.

No dia 15 de maio, um tribunal em Cartum condenou-a à morte acusando-a de ter trocado a religião muçulmana pelo cristianismo.

Meriam é casada com um norte-americano cristão.

A condenação à morte provocou uma onda de indignação pelo mundo pressionando o governo sudanês a recuar.

A Grã-Bretanha apelou ao Sudão no sentido de defender o que designou como obrigações internacionais relativas à liberdade religiosa.

No Sudão vigora a Sharia, a lei islâmica que pune as conversões religiosas com a morte.