Última hora

Última hora

Austeridade continua a assombrar os gregos

Em leitura:

Austeridade continua a assombrar os gregos

Tamanho do texto Aa Aa

Quando a Grécia pensava poder começar a respirar, os parceiros internacionais voltaram à carga com a austeridade. Numa entrevista à revista Focus, o ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schaueble, disse que a Grécia pode precisar de um novo pacote de resgate, que não deve ultrapassar os 10 mil milhões de euros.

O ministro grego das Finanças já respondeu às declarações do homólogo alemão. Janis Sturnaras garantiu que o país não precisa de ajuda adicional imediata e que as necessidades do país para 2015 e 2016 dependem dos resultados dos testes de stress conduzidos pelo Banco Central Europeu.

O Fundo Monetario Internacional aprovou, há dias, a entrega de uma tranche de 3,41 mil milhões de euros à Grécia, após a conclusão da quinta avaliação ao programa de ajustamento, mas advertiu que o país tem de continuar o trilho da austeridade.

Austeridade que os gregos sentiram na pele, com as medidas impostas pelos dois pacotes de resgate, no valor de 240 mil milhões de euros.

“Os avisos de Schaeuble e do FMI podem derrubar os planos do Governo grego. Depois da derrota nas eleições europeias, o Executivo planeava anunciar o fim da austeridade, com uma redução dos impostos. Havia também rumores de que o ministro das Finanças ia ser substituído. Planos que ficam agora em stand-by, quando surgem novas questões sobre o fim do programa grego”, explicou a jornalista Symela Touchtidou.