Última hora

Última hora

Obama declara apoio total à Ucrânia

Em leitura:

Obama declara apoio total à Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Apoio total à Ucrânia. Foi a promessa deixada pelo presidente norte-americano durante a visita à Polónia, a primeira paragem do périplo europeu.

Barack Obama encontrou-se, em Varsóvia, com o recém eleito chefe de Estado ucraniano, a três dias da tomada de posse.

A Polónia assinala, hoje, os 25 anos sobre as primeiras eleições democráticas no país. Cerca de 40 chefes de Estado marcaram presença no aniversário. O discurso de Obama foi um dos mais aplaudidos:

“O artigo 5 do Tratado do Atlântico Norte é claro. Um ataque contra um país aliado é considerado um ataque contra todos. O nosso dever e obrigação é defender a integridade territorial. E é isso que vamos fazer. Estamos juntos hoje e sempre. A vossa liberdade é a nossa. A Polónia não está sozinha. A Estónia não está sozinha. O mesmo acontece com a Lituânia e com a Roménia.”

Se dúvidas havia fica, então, a confirmação: os Estados Unidos não aceitam a ocupação da Crimeia.

“As grandes nações não devem tiranizar as mais pequenas, impor a sua vontade com recurso a armas ou a homens que ocupam edifícios de cara tapada. A súbita assinatura de um documento não pode legitimar o roubo de um território vizinho. Não aceitamos a ocupação da Crimeia por parte da Rússia e consideramos que se trata de uma violação da soberania ucraniana. As nossas nações estão unidas e qualquer outra provocação de Moscovo vai traduzir-se num aumento de custos para a Rússia e num maior isolamento” acrescenta Obama.

O chefe de Estado russo já reagiu. Vladimir Putin considera que a política mais agressiva de todas não é russa, mas norte-americana.