Última hora

Última hora

Nos trilhos da natureza intocada

Em leitura:

Nos trilhos da natureza intocada

Tamanho do texto Aa Aa

Impressionantes montanhas e uma paisagem intocada de perder de vista. Nesta edição de Macedonian Life vamos descobrir a paisagem idílica e conhecer a tradição pesqueira no lago Dojran. Mas primeiro percorremos o desfiladeiro Matka e entramos numa gruta mística.

A apenas 30 minutos da capital Skopje encontra-se uma verdadeira joia do país: o desfiladeiro Matka. É um dos destinos favoritos dos habitantes locais e um local rico em fauna e flora.

O guia Kiro Angeleski acrescenta: “O canyon Matka é a casa de uma grande variedade de animais e plantas, algumas são espécies endémicas, só se encontram aqui. Matka significa útero, a criação da vida. A atmosfera é de algum modo mística e cheia de energia cósmica positiva. As pessoas sentem-se relaxadas quando vêm aqui.”

O sinuoso rio Treska é uma visão impressionante – e dentro do canyon encontram-se alguns tesouros escondidos, entre eles a famosa gruta Vrelo. Milhões de anos de erosão produziram uma maravilha geológica, estalactites impressionantes cobrem todo o interior. Mas a parte mais impressionante encontra-se submersa.

Kiro Angeleski foi o primeiro mergulhador macedónio a explorá-la: “Quando se entra nesta escuridão é como ir para outro mundo. É um sentimento tenso…Ficamos extremamente concentrados, porque não há espaço para erros quando se está a mergulhar numa caverna escura. Quando mergulho nesta caverna subaquática tenho sempre um sentimento misto. É tudo ao mesmo tempo: medo, alegria e emoção.”

Participou numa expedição especial há quatro anos com uma equipa internacional que explorou a gruta. O famoso mergulhador italiano Luigi Casati estabeleceu um novo recorde e mergulhou a uma profundidade de 212 metros.

De volta à luz do dia seguimos para o lago Dojran, na fronteira com a Grécia. Embora seja o menor lago do país com apenas 10 metros de profundidade está cheio de vida. É considerado um dos lagos mais ricos da Europa, com 15 espécies de peixe.

Tome Baltakov viveu em Dojran toda a vida. Tem 82 anos e trabalhou mais de 40 como pescador no lago. Hoje passa o conhecimento à nova geração: “Um pescador sozinho não pode ser pescador. São precisos dois, é um trabalho de equipa. Um lança a rede à água e o outro rema. Temos de pegar na rede com 30 a 80 kg de peixe e depois levar a captura de volta à cabana.”

No inverno alguns peixes ainda são apanhados à moda antiga usando aves… Os peixes fogem dos pássaros e os pescadores conduzem-nos em direção à rede. Gzorgi Stojanov explica: “Vamos para o lago durante a noite para lançar as redes à água e no dia seguinte, antes do nascer do sol vamos recolhe-las. Levamo-las para a cabana de pesca, limpamos o peixe e preparamos as redes para a próxima captura.A vida de pescador é difícil porque durante o inverno há vento e gelo… E durante o verão, trabalhamos debaixo do calor, mas eu gosto muito disso e dá-me muita energia.”

A nossa viagem chegou ao fim. Transportou-nos desde o universo culinário macedónio na antiga cidade de Ohrid, até ao paraíso natural do canyon Matke… E ao lago Dojran. Esperamos que tenha gostado desta aventura. Se gostaria de rever todos episódios aceda ao nosso site! Muito obrigada!