Última hora

Última hora

Dia D: Primeira ponte "libertada" de França acolhe início das comemorações

Em leitura:

Dia D: Primeira ponte "libertada" de França acolhe início das comemorações

Tamanho do texto Aa Aa

Vários bombardeiros da segunda guerra mundial voltaram a sobrevoar a chamada “ponte Pegasus” na Normandia, o primeiro território em França a ser libertado pelas forças aliadas há 70 anos.

Em terra, em Benouville, o príncipe Carlos participou numa cerimónia de homenagem aos paraquedistas britânicos que, na noite de 5 para 6 de Junho de 1944, tomaram a ponte estratégica, horas antes do início do desembarque das tropas aliadas na costa francesa.

Dos 180 paraquedistas lançados sobre a região, apenas dois foram abatidos pelo exército alemão, sendo as primeiras vítimas do Dia D.

O herdeiro da coroa britânica recordou igualmente os mais de 17 mil soldados do país caídos em combate durante a batalha no norte de França.

Centenas de veteranos da chamada operação “Pegasus” participaram no evento, a primeira de uma série de comemorações que deverá reunir amanhã mais de duas dezenas de chefes de estado nas praias da Normandia.

Roy Catman, um veterano britânico recorda a noite da operação, “vivemos momentos piores no Médio Oriente, mas não deixou de ser bastante assustador. Os alemães disparavam morteiros e tiros de metralhadora por detrás das dunas da praia, mas nós conseguimos avançar e tomar esta área”.

Do outro lado do canal da mancha, em Portsmouth, as lanchas de desembarque utilizadas em 1944 voltaram ao ativo, durante um exercício militar levado a cabo pelos Marines britânicos, face a centenas de espetadores e convidados.

No dia seis de junho de 1944, cerca de 156 mil soldados das forças aliadas cruzavam o canal da Mancha para participar na primeira batalha do final da segunda guerra mundial. Mais de quatro mil faleceram durante as primeiras horas da operação, um quarto dos quais tinha a nacionalidade britânica.