Última hora

Última hora

Vala comum com 800 crianças abre polémica católica na Irlanda

Em leitura:

Vala comum com 800 crianças abre polémica católica na Irlanda

Tamanho do texto Aa Aa

Uma vala comum com cerca de 800 esqueletos de crianças descoberta em 1975 está agora a criar uma forte polémica em torno da igreja católica na Irlanda. A historiadora Catherine Corless tem-se debruçado sobre o caso e garante ter descoberto “muito mais” do que um mero cemitério para recém-nascidos.

A investigadora encontrou uma lista com o registo das crianças mortas que teriam sido ali enterradas de forma secreta e suspeita pelas freiras do convento do Bom Socorro, em Tuam, para onde, entre 1925 e 1961, foram enviadas várias mulheres solteiras grávidas.

O ministro da Juventude irlandês garante que o governo já está a tratar do caso. “O que o Governo está a fazer é apurar os factos de forma a podermos chegar ao fundo deste doloroso caso. É um assunto de grande desconforto público e não apenas para as famílias envolvidas, também para os locais. Antes do final deste mês, vamos ter acesso a um relatório do governo e depois podemos aprofundar mais esta investigação”, afirmou Charlie Flanagan.

Esta misteriosa vala comum para crianças traz à memória um outro escândalo irlandês conhecido como o caso das “irmãs de Madalena”. Neste outro caso, que perdurou entre 1922 e 1996, mais de dez mil mulheres foram obrigadas a trabalhar gratuitamente em lavandarias exploradas pela igreja católica como punição por terem engravidado fora do casamento ou por terem tido comportamentos considerados impróprios pela doutrina católica irlandesa.