Última hora

Última hora

Ucrânia não desiste da Crimeia e quer entrar na UE (Presidente Poroshenko)

Em leitura:

Ucrânia não desiste da Crimeia e quer entrar na UE (Presidente Poroshenko)

Tamanho do texto Aa Aa

Petro Poroshenko tomou posse este sábado como presidente da Ucrânia. No discurso inaugural, o oligarca de 48 anos prometeu manter a unidade territorial – Crimeia incluída – afirmou a intenção de conduzir o país à integração na União Europeia, estabeleceu a luta contra a corrupção como a prioridade para o desenvolvimento e ofereceu uma amnistia a todos os separatistas que “não tenham sangue nas mãos”.

“Quero a paz e irei alcançar a unidade da Ucrânia. É por isso que inicio o meu mandato com uma proposta de plano de paz. Apelo com firmeza a todos os que pegaram ilegalmente em armas para que as deponham”, afirmou antes de oferecer também a abertura de um corredor para os “mercenários” poderem regressar à Rússia.

Para além da convocação de legislativas antecipadas, o 5.º Presidente da Ucrânia pós-soviética promete organizar eleições locais no Leste e dar mais poderes às regiões russófonas, rejeitando contudo a ideia de uma “federalização” do país.

Só duas coisas são inegociáveis para Poroshenko:

“Na Normandia, disse claramente à liderança russa que a Crimeia é, e será ucraniana. Ponto final. A questão da Crimeia e a escolha pela Europa não são negociáveis. Tudo o resto está aberto a discussões e negociações”, garantiu.

Sexta-feira, durante as comemorações dos 70 anos do desembarque aliado na Normandia, Poroshenko reuniu informalmente com Vladimir Putin. Um encontro de cerca de 15 minutos, mediado pela chanceler alemã, Angela Merkel, que marca o regresso do diálogo entre a Ucrânia e a Rússia. Kiev e Moscovo devem começar a negociar uma saída para a crise já este domingo.

O “rei do chocolate”, como é conhecido, pediu à União Europeia para assinar, o mais rapidamente possível, a parte económica do Acordo de Associação e assim criar um espaço de comércio livre entre Kiev e Bruxelas. “Já tenho a caneta na mão”, afirmou durante a cerimónia de investidura na presença do presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy e de outros líderes europeus numa tomada de posse a que não faltou o vice-presidente norte-americano, Joe Biden.

Já a partir de janeiro de 2015, Poroshenko também quer o fim dos vistos para os ucranianos que viajam para a Europa.

Em relação ao desenvolvimento e modernização da economia, a prioridade de Poroshenko é a luta contra a corrupção, o cancro que tem minado a Ucrânia independente.

Poroshenko considera que o Parlamento, eleito em 2012, já não representa a realidade atual e irá por isso convocar eleições gerais antecipadas.

Para a revitalização da indústria, em especial no Leste, Poroshenko promete a criação de muitos empregos através da celebração de contratos para reequipar as Forças Armadas, que também serão modernizadas, já que, segundo o presidente, esta é a única forma de prevenir eventuais ataques do exterior.