Última hora

Última hora

Extremistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante controlam maior refinaria do país

Em leitura:

Extremistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante controlam maior refinaria do país

Tamanho do texto Aa Aa

Os guerrilheiros do movimento extremista Estado Islâmico do Iraque e do Levante asseguraram o controlo de mais localidades a norte de Bagdade.

Depois de terem conquistado o controlo de Mossul, a segunda cidade do Iraque e capital da província petrolífera de Kirkuk, os extremistas avançaram para Baiji.

Nesta cidade, situada a meio-caminho entre Bagdade e Mossul, situa-se a maior refinaria de petróleo do país guardada por 250 soldados iraquianos que, após negociações com representantes dos extremistas desertaram em troca de salvos condutos.

Perante esta situação, o governo iraquiano pediu ao Parlamento que fosse decretado o estado de emergência em todo o país

O avanço do Estado Islâmico do Iraque e do Levante já provocou o êxodo de cerca de 500 mil civis.

“Creio que a queda de Mossul é ainda mais perigosa que a queda de Fallujah, uma vez que a província de Ninive tem fronteiras com várias outras províncias iraquianas. Por exemplo com a região do Curdistão, a norte, e a sul com Salaheddin e Kirkuk, o que pode representar uma potencial ameaça, o que é muito perigoso”, disse o analista Jumaa al-Atwan.

Formado em 2006 e com práticas mais radicais que a Al-Qaida, o movimento Estado Islâmico do Iraque e do Levante tem como objetivo criar um emirado islâmico na Síria e no Iraque.