Última hora

Última hora

Iraque: Reações ao avanço do EIIL

Em leitura:

Iraque: Reações ao avanço do EIIL

Tamanho do texto Aa Aa

Na sua alocução televisiva semanal, o Primeiro-ministro iraquiano Nouri al-Maliki disse esta quarta-feira que a a perda do controlo de Mossul para o Estado Islâmico no Iraque no Levante (EIIL) foi uma conspiração.

“Interrogo-me sobre como e porquê algumas unidades militares sucumbiram.
Eu sei a razão, mas hoje não estamos aqui para culpar quem participou nas operações ou como elas foram levadas a cabo. Por onde entraram, quem espalhou os rumores, quem ordenou aos soldados para retirar e provocar a confusão nas unidades militares’‘, disse Nouri al-Maliki.

Por seu lado o governador da província de Ninive afirmou que tinha informado o Primeiro-ministro do que se passava em Mossul, antes de esta ser controlada pelo EIIL.

“Infelizmente Bagdade e especialmente al-Maliki não nos ouviu. Estava mais atento aos seus generais do exército do que ao governo de Mossul”, disse Atheel al-Nujaifi.

Não se sabe ainda o número de pessoas mortas durante o assalto do EIIL, mas segundo a Organização Internacional para as Migrações, cerca de meio milhão de habitantes de Mossul fugiu da cidade.