Última hora

Última hora

Putin perde paciência com a Ucrânia no impasse sobre preço do gás

Em leitura:

Putin perde paciência com a Ucrânia no impasse sobre preço do gás

Tamanho do texto Aa Aa

A energia como arma política continua a ser usada entre a Rússia e a Ucrânia, com as negociações sobre o preço do gás mergulhadas num impasse depois de mais uma reunião mediada pela Comissão Europeia, esta quarta-feira, em Bruxelas.

O governo de Moscovo propôs deixar de cobrar um imposto aduaneiro – o que baixaria o preço em quase 20% -, mas como tal não estaria escrito num novo contrato, não agradou ao governo de Kiev.

O ministro da Energia da Ucrânia, Yuri Prodan, disse que “este é um mecanismo que pode ser aplicado ou não. Isto é, hoje podemos assinar um acordo sobre o desconto, mas amanhã esse desconto pode ser cancelado pelo governo da Rússia”.

Nas crises de 2006 e 2009 entre os dois países, a Rússia chegou a cortar o fornecimento de gás.

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, parece estar a perder a paciência e afirmou que “as nossas propostas são mais do que propostas de parceria porque visam apoiar a economia da Ucrânia, que atravessa um momento muito difícil. Queremos ajudar os ucranianos, mas se as nossas ofertas são rejeitadas, então vamos passar para uma fase completamente diferente.”

Apesar do tom duro, a empresa estatal russa (Gazprom) adiou para 16 de junho o ultimato à Ucrânia para pagamento da dívida de gás – que se cifra em três mil milhões de euros -, de modo a permitir mais negociações.