Última hora

Última hora

Festival Gnaoua em Marrocos celebra fusão musical

Em leitura:

Festival Gnaoua em Marrocos celebra fusão musical

Tamanho do texto Aa Aa

O Festival Gnaoua e Músicas do Mundo arrancou esta quinta-feira em em Marrocos com um concerto do violinista francês Didier Lockwood. O evento decorre todos os anos na cidade de Essaouira.

A música Gnaoua é uma das grandes tradições do folclore marroquino. Os Gnaoui são considerados os descendentes dos escravos de origem subsariana que trabalhavam para os antigos exércitos árabes de Marrocos e da Argélia.

Didier Lockwood é um admirador da música Gnaoua.

“Quando percebemos como as coisas funcionam, entramos no esquema e aderimos a esta forma de hipnose. É impressionante porque não temos vontade de parar, há um lado eufórico, digamos assim”, disse o músico francês.

“Gosto muito de África em geral porque há um instinto, que é algo que nós perdemos completamente. Aqui tudo é pressentido e sincrónico, como pode ver, é muito interessante”, acrescentou Lockwood.

Hassan Boussou é filho de um músico Gnaoua e vive em França, onde colabora com músicos de vários horizontes, incluindo rap e hip pop e procura reiventar a tradição.

Durante o festival, Boussou juntou-se a Didier Lockwood e ao percussionista franco-argelino Karim Ziad.

A música Gnaoua é uma música aberta aos outros estilos do mundo inteiro e é um música mãe, compatível com todos os estilos capaz de se adaptar e sobretudo de improvisar”, explicou Hassan Boussou.

Além dos músicos marroquinos, o Festival recebe todos os anos artistas de vários países do mundo. Este ano, a lista de convidados inclui músicos do Senegal, da França, do Mali, e dos Estados Unidos.