Última hora

Última hora

Iraque: Mulheres e crianças fogem à guerra rumo ao Curdistão

Em leitura:

Iraque: Mulheres e crianças fogem à guerra rumo ao Curdistão

Tamanho do texto Aa Aa

Com o agravar do conflito, o número de pessoas em fuga no Iraque – nomeadamente mulheres e crianças – não pára de aumentar. Em especial, nas últimas horas, provenientes sobretudo de Mossul, a segunda maior cidade do país, que foi tomada esta semana pelos rebeldes armados afetos ao proclamado Estado Islâmico do Iraque e do Levante (conhecido pela sigla inglesa ISIL), que têm vindo a ganhar terreno e a colocar sob ameaça a capital Bagdade.

Os refugiados, que incluem famílias inteiras, procuram proteção na região autónoma do Curdistão, no norte do Iraque. A maioria parte oriunda de minorias étnicas iraquianas, as quais receiam tornar-se alvos das milícias radicais sunitas. É o caso da família de Ali Nazar, que encontrámos no interior de uma camioneta à espera de passar o posto de controlo na fronteira da região curda. “Somos todos da etnia turcomana e temos medo que nos ataquem. Juro por Deus que a situação é terrível. A nossa vida foi destruída e o nosso futuro é incerto devido a esta tensão sectária”, lamentou este chefe de família.

O destino destes refugiados iraquianos é à partida Irbil, a capital do Curdistão iraquiano. Mas junto ao posto de controlo às portas desta região está a ser montado um acampamento para acolher os que fugiram milhares que fugiram ao avanço dos rebeldes e à anunciada resposta militar do governo iraquiano. E isto quando também o Irão já começa a preparar para uma eventual contraofensiva xiita ao avanço sunita no Iraque.

O futuro imediato antevê-se, por isso, difícil e em pobres condições para este cada vez maior número de refugiados iraquianos.

  • Area controlled by militants and current fighting

  • Main iraqi oil fields

    (source: www.eia.gov)

  • Area controlled by militants in Syria and Iraq