Última hora

Última hora

Itália e Inglaterra: a festa do futebol em Manaus

Em leitura:

Itália e Inglaterra: a festa do futebol em Manaus

Tamanho do texto Aa Aa

Quatro jogos fizeram o terceiro dia deste campeonato do Mundo de Futebol, mas todos os olhos estiveram voltados para a partida no estádio de Manaus, entre a Inglaterra e a Itália, dois antigos campeões do mundo. No Grupo D, está um terceiro vencedor de um Mundial, o Uruguai, que jogou contra a Costa Rica.

Britânicos e italianos, dois sérios candidatos ao título, ofereceram este sábado um dos mais interessantes duelos do Mundial.

Claudio Marchisio inaugurou o marcador aos 35 minutos da partida, com Sturridge a fazer o empate, na jogada seguinte ao golo dos italianos, finalizando um lance brilhante do ataque britânico.

Aos 50 minutos, Super Mario marcou o segundo golo da Itália.

Uruguai e Costa Rica deram o pontapé de saída no “grupo da morte”, o Grupo D, do qual fazem ainda parte a Inglaterra e a Itália. Cavani surpreendeu os homens de Óscar Tabarez, numa grande penalidade, aos 24 minutos. Campbell, com um remate cruzado, fez o empate aos 54, sem deixar hipóteses a Muslera, e três minutos depois Duarte marcou o segundo golo dos costariquenho. Aos 84 minutos, Ureña fez o 3-1.

A equipa da Costa Rica pode conservar no Grupo D esta classificação que os coloca na dianteira da Itália, Inglaterra e Uruguai.

O primeiro jogo do Grupo C, que abriu o terceiro dia do Mundial, deu a vitória aos cafeteros, no confronto com a equipa de Fernando Santos, por 3-0, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte.

O lateral-esquerdo Pablo Armero surpreendeu aos 5 minutos, num remate que deixou Karnezis de mãos vazias.

Aos 58 minutos, Gutiérrez fez o 2-0 e aos 90 foi a vez de Rodríguez fechar, com o terceiro golo.

Neste grupo, no dia 19, a Colômbia joga em Brasília contra os marfinenses e a Grécia enfrenta os japoneses, em Natal.

Próximos jogos

A Argentina, com Messi, um dos mais fortes candidatos ao título no Brasil, vai iniciar a sua presença nesta vigésima edição do Mundial com o jogo contra a Bósnia Herzegovina, uma equipa que disputa pela primeira vez um campeonato do Mundo.

Classificada em primeiro lugar nas eliminatórias sulamericanas, a bicampeã Argentina chega ao seu décimo sétimo Mundial com Messi a demonstrar um bom futebol com a camisa azul celeste. Uma equipa cheia de ardor, forte de um quarteto ofensivo experimentado que torna a seleção de Alejandro Sabella uma das favoritas à conquista do tricampeonato em solo brasileiro.

Pela primeira vez num Mundial, a Bósnia e Herzegovina pode surpreender no grupo F. A equipa tem seis peças de qualidade, entre os quais o guarda-redes Begovic e os atacantes Ibisevic e Dzeko, um dos nomes maiores do Manchester City.

Nas eliminatórias, a Bósnia marcou 34 golos em apenas 10 jogos, sofrendo apenas 6 – dando provas da capacidade de chegar até às oitavas de final.

O outro confronto deste Grupo F coloca a Nigéria, vencedora da última Taça das Nações Africanas, contra o Irão, que só ganhou até hoje um jogo num campeonato do Mundo, face aos Estados Unidos, em 1998.

A França inicia a sua participação no Mundial em Porto Alegre, contra as Honduras. Uma partida que parece fácil para os azuis, mas cuidado, pois neste tipo de campeonatos não há, na verdade, equipas grandes ou equipas pequenas.

Ao sortear o Grupo E, os gauleses estão entre os favoritos na corrida ao título, neste Mundial.
A diferença técnica entre as equipas de Didier Deschamps e Fernando Suárez é muito grande. Só com grande dificuldade é que se encontraram jogadores capazes de representar as Honduras, enquanto a França tem peças de reposição de grande qualidade. Ribery, Pogba e Valbuena terão bastante liberdade para desenvolver as jogadas francesas no meio de campo, a contar com as finalizações de um Benzema em excelente forma.

Com Franck Ribéry afastado, caberá a Karim Benzema a responsabilidade de conduzir o ataque dos tricolores.

Nos flancos, Didier Deschamps deverá colocar Olivier Giroud ou Antoine Griezmann e Mathieu Valbuena, sustentado no seu preferido esquema 4-3-3, com Cabaye, Matuidi e Pogba ao centro.

Os gauleses são jovens, o que significa menos experiência, porém pode também ser a melhor forma de esquecer o fantasma do Mundial 2010, na África do Sul.

A seleção das Honduras é a mais fraca do Grupo E e dificilmente passará à próxima fase. Conta apenas duas participações em fases finais do Mundial em 1982 e 2010, eliminada em ambas na fase de grupos, Fernando Suárez tem conjugado veteranos e jovens talentos – graças a isso, atingiu os quartos-de-final nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 e a qualificação para a fase final do Mundial do Brasil.

Entrentanto, os helvéticos de Ottmar Hitzfeld, entre os favoritos no grupo E, vão ter de estar atentos no jogo com o Equador, que pode trazer surpresas.

A Suíça passou por um grupo duro nas eliminatórias para a Copa do Mundo e fez valer a sua classificação para o mundial no Brasil garantindo a liderança do grupo 5.

O Equador sorteou um grupo não muito difícil e com possibilidades de avançar junto à favorita França, mas terá que medir forças com a Suíça, que tem maiores possibilidades de classificar. Avançar para as oitavas de final seria já um resultado feliz para os equatorianos.

Prognósticos

Fazer prognósticos em futebol, não é tarefa fácil e bem podemos enganar-nos, mas aqui estão os nossos palpites para os jogos de domingo.

E esperamos pelas vossas previsões também, nas redes sociais, usando o hashtag #TheCornerScores

Eis os prognósticos da redação desportiva da euronews:

Para o jogo França – Honduras, prevemos uma vitória dos Gauleses, por 2 a zero.

Segue-se a derrota da equipa de Reinaldo Rueda, no confronto com a Suíça, por 2 a 1.

E ainda de acordo com os nossos prognósticos, a Argentina vai ganhar à Bósnia, por 3 a 1.

Conclusão

É tudo por agora, no The Corner Especial Mundial 2014. Continue connosco diariamente, até ao 13 de julho, para a final do Campeonato do Mundo de Futebol.