Última hora

Última hora

Rescuer: segurança para todos

Em leitura:

Rescuer: segurança para todos

Tamanho do texto Aa Aa

A segurança é uma prioridade em todos os grandes eventos e o Mundial da FIFA 2014 não é excepção. Esta questão é particularmente relevante no Rio de Janeiro, uma cidade rodeada por montanhas e mar. Inúmeras câmaras de circuito fechado registam o trânsito, os comboios e metros. Agora as pessoas também podem participar através de aplicações no telemóvel.

Chama-se Rescuer e foi desenvolvida por investigadores do Instituto Fraunhofer (IESE), em Kaiserslautern, na Alemanha.

O objetivo deste projeto de parceria Europa-Brasil foi a criação de uma solução que facilitasse a gestão de situações de crise e emergência.

Esta aplicação assenta nas tecnologias móveis que hoje em dia a maioria das pessoas traz consigo.

“As informações são transmitidas do dispositivo móvel para um componente central podendo depois ser utilizadas pelos serviços de emergência e Centro de Comando. Podem ainda visualisar-se as informações de cada telemóvel individual, se assim for necessário. Acima de tudo, serve para criar uma perspectiva agregada da situação. Por exemplo, onde existem densidades de população elevadas ou números reduzidos de pessoas; onde ocorrem incêndios, explosões ou outro tipo de problemas”, afirma Jörg Dörr, Chefe da Divisão dos Sistemas de Informação – Fraunhofer IESE.

Ao filtrarem, combinarem e analisarem as diferentes informações obtidas, os centros e serviços de emergência conseguem reagir melhor e mais rapidamente. Isto ajuda a salvar vidas. Podem ainda adaptar-se ao movimento das multidões. Outro aspeto estudado neste projeto foi a forma como as pessoas utilizam o telemóvel em situações de stress.

Jörg Dörr adianta que “a aplicação está a ser testada na Alemanha em locais públicos pois queremos conhecer as reações das pessoas. No futuro, a aplicação e toda a estrutura em que assenta vai contribuir para reforçar a segurança pública.”

Segundo os investigadores, com um sistema como o RESCUER, o número de vítimas ocorridas durante os tumultos na Love Parade em 2010 em Duisburg na Alemanha teria sido muito mais baixo. O sistema está a ser agora a ser testado no estádio Fonte Nova em Salvador, no Brasil.