Última hora

Última hora

The Corner: Messi marca na véspera da estreia de CR7 no Mundial

Em leitura:

The Corner: Messi marca na véspera da estreia de CR7 no Mundial

Tamanho do texto Aa Aa

A Argentina entrou a ganhar no mundial de Futebol. Com Lionel Messi a assinar uma exibição discreta no global, mas pincelada por um belo golo, a “albiceleste” enfrentou, no grupo F, a estreante Bósnia e Herzegovina e venceu, por 2-1.

Os sul-americanos, com o ainda benfiquista Garay e o sportinguista Marcos Rojo no onze, entraram praticamente a ganhar, com um autogolo de Kolasinac que fez história: marcado aos 2,08 minutos, é o golo mais rápido de sempre em mundiais, batendo o igualmente autogolo do paraguaio Carlos Gamarra, em 2006, diante da Inglaterra.

Os bósnios reagiram, mas não conseguiram encontrar o caminho da baliza. Na segunda parte, aos 65 minutos, Lionel Messi marcou um belo golo e, aos 86 minutos, Ibisevic reduziu. A Argentina assume provisoriamente a liderança do grupo F, à espera do que acontecer esta segunda-feira no Irão-Nigéria (ver antevisão mais abaixo).

No grupo E, a França, tal como a Itália sábado no grupo D, voltou aos triunfos na fase final de um mundial oito anos depois do torneio onde as duas seleções de azul, os “Bleus” e a “azurra”, se defrontaram na final que, então, corou os italianos, no célebre jogo da cabeçada de Zidane a Materazzi. Os gauleses derrotaram as Honduras, por 3-0.

Um penálti claro ao cair do intervalo, que custou a controversa expulsão ao hondurenho Wilson Palacios, permitiu a Karim Benzema abrir o marcador. Logo após o intervalo, a França beneficiou ainda de um autogolo do guarda-redes Valladares, com o árbitro a receber a importante ajuda do “olho de falcão” para confirmar o golo. Aos 72’, o avançado do Real Madrid bisou e confirmou a vitória dos gauleses. Benzema está entre os melhores marcadores do Mundial, ao lado Van Persie, Robben e Neymar.

Antes a Suíça, com um golo aos 93 minutos de Seferovic, somou igualmente três pontos, ao vencer o Equador, por 2-1. Os sul-americanos até marcaram primeiro, por Enner Valência, na marcação de um livre ao jeito de canto

O intervalo no Estádio Mané Garrincha fez bem aos helvéticos, que logo, no reatamento, empataram através do recém-entrado Admir Mehmedi, na marcação de um canto, na mesma baliza e num lance muito idêntico ao do golo equatoriano.

O jogo ficou dividido e, com a chegada dos 90 minutos, parecia que o empate, mais do que justo, seria o resultado final. Puro engano. Ao terceiro minuto dos descontos, o Equador ficou perto do golo, mas Behrami evitou-o e saiu a jogar, lançou Rodriguez e este cruzou para o golo de Seferovic, que valeu três preciosos pontos a abrir para a equipa de Ottmar Hitzfeld, tal como há quatro anos, quando entraram a ganhar à Espanha, na África do Sul.

[Confira aqui todas as classificações de todos os Grupos do Mundial do Brasil]

O dia de Portugal no Brasil
Salvador da Baía recebe esta segunda-feira a estreia de Portugal no mundial de futebol. Para a equipa das quinas será o segundo duelo com a Alemanha numa fase final depois do jogo para decidir o terceiro e quarto lugares em 2006, que acabou por sorrir (3-1) aos germânicos, os anfitriões desse torneio.

Nas bocas do Mundo, os favoritos neste jogo entre o segundo e quarto classificados do presente ranking de seleções da FIFA é a Alemanha. Mas Portugal surge em prova com um trunfo único: o melhor jogador do Mundo da atualidade.

Cristiano Ronaldo foi, aliás, o eleito para fazer a antevisão da estreia de Portugal no Mundial. Após algumas semanas a levantar dúvidas sobre o estado físico em que se vai apresentar no torneio, foi com boa disposição que o capitão da equipa das quinas esclareceu a situação: “Queria estar a 110 por cento, estou apenas a 100 por cento. Mas acho que isso será suficiente para ajudar a Seleção.”

Mais a sério, o melhor do Mundo lembrou que “um jogador não faz uma equipa”. “Estou aqui para ajudar, sou um jogador mais. Claro que posso fazer a diferença em muitos jogos, mas não carrego a equipa às costas”, sublinhou, adiantando, confiante, que “este vai ser o ano de Portugal”.

“Todas as seleções têm a ambição de ganhar o Mundial, Portugal também. No final é que se fazem as contas”, concretizou, desdramatizando o saldo negativo de Portugal diante da Alemanha: “Se se recordarem, o Real Madrid não ganhava ao Bayern há muitos anos e nem a Liga dos Campeões. Isso mudou. Acredito que, muitas vezes, o nosso destino está traçado e o meu também. Sinto uma onda positiva à volta da Seleção, também por causa da ajuda do povo brasileiro. Sinto que as coisas vão correr bem para Portugal. Vamos entrar com o pé direito.”

Paulo Bento meteu alguma água na fervura da ambição de Ronaldo: “Já tivemos o melhor jogador do Mundo noutras gerações e não vínhamos sequer ao campeonato do mundo. Por isso, e por termos o melhor jogador do mundo, não temos de ser campeões”. “A nossa pressão é chegar aos oitavos de final e, a partir daí, competir”, apontou.

O horário do jogo (13 horas, no Brasil) esteve no alvo das criticas do selecionador português. Já deviam ter aprendido. Nos Estados Unidos (1994), já tinham jogado às duas da tarde, com temperaturas muito elevadas. Isso é mau para os jogadores e até para os adeptos. Não é assim que se protege o futebol”, acusou Paulo Bento. Por causa do horário do jogo, a Seleção terá de tomar uma refeição em jeito de almoço logo pelas 9 horas da manhã.

Quanto à Alemanha, o guarda-redes de nome português Manuel Neuer foi o eleito para lançar o jogo. Cristiano Ronaldo, claro, foi tema recorrente na conferência de imprensa. “Vamos ver se ele está ou não na melhor forma”, disse o “keeper” do Bayern Munique, que esta época já sofreu vários golos do capitão português.

Em relação a Portugal, Neuer considerou ser “um dos adversários mais difíceis” que a Alemanha poderia encontrar: “Foi quarto classificado no Euro 2012 e tem uma grande equipa.”

O selecionador destacou a própria equipa e apontou um só objetivo: “A nossa prioridade é a final”. “Queremos ser consistentes durante todo o campeonato e tenho a certeza que seremos uma equipa difícil de bater, temos qualidade e talento. Se trabalharmos bem, como equipa, se defendermos bem e concretizarmos as oportunidades que criarmos, podemos ir longe”, disse Joachim Löw.

O Alemanha-Portugal tem início marcado para as 13 horas locais, em Salvador da Baía, 17 horas em Lisboa. Seis horas mais tarde, o Gana-Estados Unidos fecha a primeira ronda de jogos do Grupo G.

Queiroz procura milagre iraniano
O grupo F fica completo esta segunda-feira com o confronto entre o Irão, de Carlos Queiroz, e a Nigéria.
É o segundo Mundial para o treinador português depois de ter estado no de há quatro anos com Portugal e de ter falhado a fase final de 2002 depois de ter qualificado a África do Sul para esse torneio.

Será difícil a Queiroz igualar com o Irão a passagem aos oitavos de final conseguida com a equipa das quinas na África do Sul, mas a bola é redonda e surpresas acontecem. “O futebol é jogado por equipas com valores e ideias diferentes. Um Mundial não é para ser jogado por tolos ou irresponsáveis. Mas uma coisa é defender, e procurar defender bem, e outra é jogar antifutebol, em que não se tenta ganhar. Isso prometo: se a Nigéria nos deixar atacar, aproveitaremos”, prometeu Queiroz.

Para o Irão, esta é a quarta presença numa fase final, mas nunca a equipa árabe venceu no jogo inaugural. Os iranianos, aliás, apenas por uma vez venceram num mundial: foi no de França, em 1998, diante, curiosamente, do arquirrival político Estados Unidos.

A Nigéria, por seu lado, é mais experiente. As “super águias” africanas vão para o quinto Mundial e, tal como em 1994 e 1998, vão tentar passar da fase de grupos. Algo que falharam redondamente em 2002 e 2010.

O treinador nigeriano Stephen Keshi, que ha 20 anos jogou o Mundial dos Estados Unidos, escondeu o jogo para esta estreia no do Brasil, mas a Nigeria parte claramente como favorita diante do Irão de Carlos Queiroz.

Previsões euronews
Nas habituais previsões de resultados para os jogos do Mundial, a equipa de desporto da euronews previu que, na terça-feira, no grupo H, a Bélgica vence a Argélia, por 2-0, e a Rússia ganha à Coreia, por 3-1. Para a abertura da segunda ronda no grupo A, prevemos que o Brasil vence o México, por 2-0.

Junte-se a nós neste jogo do adivinha e deixe também as suas previsões nas nossas redes sociais recorrendo ao “hashtag” (cardinal) #TheCornerScores.