Última hora

Última hora

França: Confrontos em Paris entre ferroviários e polícia

Em leitura:

França: Confrontos em Paris entre ferroviários e polícia

Tamanho do texto Aa Aa

Ao sétimo dia, a greve não descansou. Pelo contrário, os ferroviários franceses envolveram-se mesmo em confrontos com a polícia, que os impediu de alcançar a assembleia nacional.

Os ferroviários manifestavam-se próximo do Parlamento, onde os deputados examinam a reforma do setor, que visa fazer face aos 44 mil milhões de euros de dívida e preparar a abertura total à concorrência.

O projeto visa reagrupar, numa ‘holding’ pública a infraestrutura e as carruagens. Os ferroviários estão contra e dizem tratar-se de uma “reunificação de fachada” que não vai resolver nada.

É por essa razão que há sete dias estão em greve. São apenas 14 por cento dos funcionários ferroviários, mas já provocaram 100 milhões de euros de prejuízo à SNCF e o descontentamento dos passageiros.

“É um escândalo. Quando é demais, é demais! Um dia de greve, ok, mas o direito à greve tem limites!”, exaspera-se um utente. Outra passageira lamenta: “Não posso evitar de pagar o passe porque está em débito automático em conta. Mas tenho amigos que já não vão pagar o passe que caduca esta noite.”

O debate, na assembleia, está previsto durar até quinta-feira e os ferroviários apelam a um reforço da pressão contra o governo e a SNCF. Os utentes, esses, vão continuar a esforçar por não perder os poucos comboios que circulam.