Última hora

Última hora

A aeronáutica e a impressão em 3D

Em leitura:

A aeronáutica e a impressão em 3D

Tamanho do texto Aa Aa

Os componentes e peças desenhados em computador e produzidos em impressoras 3D são cada vez mais comuns. A indústria aeronáutica lidera nesta área. Em Hamburgo, nas instalações da Airbus, impressoras 3D conseguem produzir peças em metal para todos os modelos da frota Airbus. Estas peças são mais leves, mais fortes e mais baratas de produzir. Várias centenas de peças são agora utilizadas no Airbus A350 XWB. Graças à impressão em 3D, o tempo de produção foi reduzido em 70% e os custos baixaram 80%.

“Esta peça é interessante porque normalmente faz parte do sistema de combustível. São dois tubos em um normalmente compostos por 10 peças diferentes. Com a impressão em 3D, podemos integrar o suporte e os dois tubos numa só peça e imprimi-la. Assim conseguimos reduzir o peso. O mais interessante é que obtemos uma redução de custos na ordem dos 30%”, diz Peter Sander, diretor do departamento de tecnologias emrgentes e conceitos da Airbus.

A impressão em 3D consiste em produzir um objeto a 3 dimensões a partir de um ficheiro digital criado por engenheiros especializados. A seguir as impressoras 3D transformam estas peças em objetos reais utilizando materiais como pó de plástico ou diferentes tipos de metal como o titânio e o aço.

2.33 ITW CURTIS CARSON, HEAD OF SYSTEMS INTEGRATION, AIRBUS (ENGLISH)

Para Curtis Carson, diretor do departamento de integração de sistemas, “para as companhias aéreas o principal benefício consiste na redução do peso do aparelho. Ao reduzir o peso estamos não só a reduzir custos mas também a tornar o consumo de combustível mais eficaz o que , por sua vez, poupa dinheiro e aumenta a eficiência da operação”.

Os primeiros voos comerciais em aviões com peças metálicas feitas nas impressoras 3D estão previstos para 2016. A produção em massa terá lugar em 2018. Prevê-se que todos os meses sejam impressas 30 toneladas de peças metálicas.