Última hora

Última hora

"Irão prefere Iraque unido"

Em leitura:

"Irão prefere Iraque unido"

Tamanho do texto Aa Aa

Com os combatentes do Estado islâmico do Iraque e do Levante a ameaçarem o capital iraquiana Bagdade e a deixarem o país no caos, os Estados Unidos equacionam uma solução com o Irão sobre a crise iraquiana.

Uma eventual partilha do país poderia ser equacionada, mas é pouco provável, como explica o iraniano Masoud Alfak, especialista em assuntos do Irão e do Médio Oriente. “A divisão do Iraque vai ser discutida se for apresentada como solução e não como problema. Mas penso que por agora, o Irão prefere um Iraque unido em vez de dividido. A maioria dos países não concordam com um Iraque dividido porque muitos são multiétnicos e multirreligiosos, por isso não quer uma situação que os poderá infetar. Por exemplo, o Irão é um país multiétnico – existem curdos, árabes, Beloush e turcos, tal como a Arábia Saudita com os chiitas, os sunitas e os Ismaili. O mesmo se aplica na Turquia, na Síria…” , explica.

Sobre a unidade do país, Masoud Alfak descreve o que se passa. “Uma grande parte dos chiitas é contra Maliki. Nós sabemos que o Ayatollah Sistani pediu aos iraquianos para lutarem contra o que chama de terroristas, mas durante dois anos recusou-se a encontrar-se com Maliki. Ammar Al Hakim, líder do Supremo Conselho Islâmico do Iraque opõe-se a Maliki, tal como, e mais importante ainda, Muqtada al-Sadr, o líder do exército de Mehdi, um grupo chiita. Ele é contra Maliki. Uma vez afirmou: «não foi o exército iraquiano que perdeu a batalha em Mossul, mas sim o exército de Maliki». Existem profundas divisões no país”, diz Alfak.