Última hora

Última hora

Ucrânia: Forças armadas com dificuldades em equipar soldados voluntários

Em leitura:

Ucrânia: Forças armadas com dificuldades em equipar soldados voluntários

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de voluntários juntaram-se às forças armadas ucranianas desde o início do conflito com os separatistas pró-russos no leste do país. Uma ajuda que as autoridades de Kiev agradecem, mas que revela a difícil situação económica em que vive também o exército: não há dinheiro para equipar e alimentar os novos militares.

Maxim é irmão de um desses jovens voluntários. Entrevistado pela euronews explicou que quando o irmão foi enviado para a zona de conflito lhe perguntou que material tinha. A resposta foi surpreendente: algumas armas, munições mas nem sequer tinha colete à prova de bala. Nessa altura foi Maxim que foi à procura de um em Kiev e acabou por lhe enviar.

Na capital agora há outros voluntários a recolher equipamento, que segue todas as semanas para as frentes de batalha.
Roman Khanin, responsável pela organização de alguns desses envios lembra que “o Estado agora dá aos militares ucranianos uma arma, uma cama e às vezes um colete à prova de bala. De qualquer forma 300 soldados podem receber apenas 100 coletes.”

O porta-voz do Ministério da Defesa, Bohdan Senyk, reconhece as fragilidades de um exército que não estava preparado para um conflito deste género. “Os coletes à prova de bala não eram usados em serviço até agora. Apenas os contingentes nacionais que estavam em missões de paz e a guarda nacional os usavam. Não eram necessários muitos” sublinha Senyk.

De qualquer forma, o Ministério da Defesa garante que nos próximos dias 25 mil coletes vão ser entregues ao exército.
Para os comprar as autoridades de Kiev contaram com os donativos que chegam de todas as partes: desde o cidadão mais comum ao milionário ucraniano. 8 milhões de euros já foram doados ao exército do país desde o início do conflito.