Última hora

Última hora

Ucrânia: Putin quer diálogo "substancial" enquanto França e Alemanha pedem que "favoreça negociações" de paz

Em leitura:

Ucrânia: Putin quer diálogo "substancial" enquanto França e Alemanha pedem que "favoreça negociações" de paz

Tamanho do texto Aa Aa

Vladimir Putin apelou à presidência ucraniana e aos rebeldes pró-russos para iniciarem um diálogo “substancial” e pediu a Kiev para pôr fim às operações militares no Leste da Ucrânia.

França e Alemanha apelaram, por seu lado, ao presidente russo para que “favoreça as negociações” para tentar resolver a crise ucraniana.

Por ocasião do aniversário da invasão do antigo bloco soviético por parte da Alemanha nazi, no início da Segunda Guerra Mundial, Putin frisou que “é necessário iniciar um diálogo detalhado e substancial. Essa é a chave para o sucesso. Infelizmente, aquilo a que assistimos é à continuação das ações militares”.

O presidente ucraniano assinalou a data junto ao memorial do soldado desconhecido em Kiev. Petro Porochenko expôs em detalhe este domingo o seu plano de paz, já avançado pelos meios de comunicação na passada semana e que inclui uma proposta de diálogo com os separatistas.

Durante a cerimónia, Porochenko frisou que “a questão da guerra voltou a tornar-se uma realidade na Ucrânia. O odor da guerra paira no ar e é por isso que tomei a decisão de dar uma oportunidade à paz”.

Apesar do cessar-fogo unilateral decretado na sexta-feira, tropas ucranianas e rebeldes continuam envolvidos em combates. Em Donetsk, os separatistas pró-russos voltaram a rejeitar este domingo o plano de Porochenko e prometeram continuar a lutar contras as forças de Kiev.