Última hora

Última hora

"Sol3 Mio": Na Nova Zelândia também se canta ópera.

Em leitura:

"Sol3 Mio": Na Nova Zelândia também se canta ópera.

Tamanho do texto Aa Aa

Descendentes de samoanos, Amitai e Pene Pati, tenores, e o primo Moses Mackay, barítono, já tinham carreiras de sucesso quando se voltaram para a ópera

O interesse surgiu depois de Moses e Pene terem feito parte do coro num concerto de Andrea Bocelli. Foram aceites na Academia Internacional da Voz, no País de Gales e para pagar os estudos formaram o trio “Sol3 Mio”, que alcançou um enorme sucesso na Nova Zelândia no final de 2013.

“Já éramos todos bem conhecidos na Nova Zelândia como cantores de ópera. Por isso, decidimos incorporar muita música popular e coisas do género para diversificar e atrair o maior número de pessoas possível. Ao fazermos isso, conseguimos alargar o nosso público. Em vez de termos uma audiência exclusivamente madura, já temos crianças de apenas 7 anos nos nossos espetáculos. Queremos que a ópera chegue a tantas pessoas quanto for possível mas sem ferir a integridade da ópera e tornando-a muito divertida”, explica Amitai Pati.

O trio gosta de misturar clássico da ópera como “Sole Mio”, com canções mais recentes como “My Way”.

“Somos os três cantores de ópera, mas o que o público vê em palco é uma atuação muito diversificada. Começamos com ópera, passamos pelo teatro musical, entramos pelo R&B, fazemos um pouco de tudo e ainda tocamos instrumentos. Quem assiste aos espetáculos é normalmente apanhado de surpresa. Adoram, em particular o humor, as brincadeiras e a forma como os nossos estilos e personalidades se revelam no palco”, refere Pene Pati.

Apesar de ter sido lançado em meados de novembro “Sol3 Mio” foi o álbum mais vendido no ano passado na Nova Zelândia. Esteve nove semanas consecutivas no topo da tabela de vendas e já conquistou cinco discos de platina.