Última hora

Última hora

Renzi quer aposta no crescimento para recuperar a "alma europeia"

Em leitura:

Renzi quer aposta no crescimento para recuperar a "alma europeia"

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro de Itália disse que a presidência da União Europeia (UE), que o país assume no segundo semestre do ano, “não se limitará às questões económicas”, mas que quer “recuperar a alma europeia”.

Contudo, no que à economia diz respeito, Matteo Renzi sublinhou, esta quarta-feira, no Parlamento Europeu, que “assinamos, em conjunto, um pacto que se chama “Pacto de Estabilidade e de Crescimento”. Existe a estabilidade, mas também é preciso o crescimento”.

“O pedido para que o crescimento seja um elemento fundamental da política económica europeia não é feito por um único país, é algo que beneficia toda a Europa e não apenas a Itália”, acrescentou o chefe de Governo socialista.

Renzi enfatizou que os políticos europeus devem ser mais ativos na defesa dos valores democráticos e do respeito pelos direitos humanos, tanto internamente como ao nível internacional.

Pouca substância, segundo a eurodeputada liberal Sophie in ‘t Veld, que disse “que depois de ter ouvido o discurso na íntegra, fiquem sem saber muito bem o que vai ser a presidência italiana da UE. Não foi apresentado nenhum programa, nenhuma visão particular e penso que o primeiro-ministro se limitou a reabrir o debate sobre as políticas económicas e orçamentais da UE”.

Sobre esta “estreia” de Renzi, a enviada da euronews a Estrasburgo, Margherita Sforza, realça que “o primeiro-ministro italiano é o homem do momento na Europa, graças ao grande sucesso que o seu partido obteve nas eleições europeias. Renzi reabriu o debate sobre o crescimento, mas a economia italiana ainda é muito frágil e tal e enfraquece a sua posição. Face a tantas promessas, a UE vai esperar pelos resultados para testar a credibilidade deste líder”.