Última hora

Última hora

The Corner: Argentina e Bélgica sofrem mas garantem vaga nos "quartos"

Em leitura:

The Corner: Argentina e Bélgica sofrem mas garantem vaga nos "quartos"

Tamanho do texto Aa Aa

Foi em alta rotação e com o coração nas mãos que encerraram esta terça-feira os oitavos-de-final do Mundial de futebol. Argentina e Bélgica garantiram as derradeiras vagas dos quartos-de-final com vitórias suadas e pela margem mínima. A equipa de Leo Messi, Ezequiel Garay e Marcos Rojo (Enzo Perez voltou a nao jogar) bateu a Suíça, por 1-0, enquanto a formação do portista Defour derrotou os Estados Unidos, por 2-1. Ambos os jogos, decididos através de prolongamento.

Depois de um jogo intenso, mas nem por isso bem jogado, que terminou a zero no tempo regulamentar, foi mesmo à beira do fim do prolongamento que a Argentina recebeu a dádiva divina. Desta feita, não foi Messi o salvador, mas Angel di Maria. O ex-jogador do Benfica marcou aos 118 minutos quando já muitos pensavam em mais um desempate por grandes penalidades.

O jogo, porém, não terminou aí. A Suíça reagiu bem e no primeiro minuto dos descontos, já com o guarda-redes ex-Nacional da Madeira Diego Bengalio a jogar no ataque, Dzemaili esteve perto do empate por duas vezes . Primeiro cabeceou ao poste, a bola ressaltou contra ele e depois saiu ao lado da baliza. Um duplo azar, que representou bonança divina para a equipa dos benfiquistas Garay e Enzo Perez e do sportinguista Marcos Rojo.

A Argentina venceu, por 1-0, e sábado, nos quartos de final, vai defrontar a Bélgica, a quarta equipa europeia apurada para os quartos-de-final, que vão integrar outras quatro sul-americanas.

O derradeiro jogo dos oitavos-de-final representou o quinto jogo deste Mundial com direito a meia-hora extra. Belgas e americanos completaram, igualmente, os 90 minutos sem conseguir qualquer golo e com os guarda-redes tambem em plano de destaque. Mas, logo a abrir o prolongamento , Kevin de Bruyne encontrou o caminho das redes de Tim Howard. A fechar a primeira parte do jogo extra, o médio do Wolfsburgo voltou a destacar-se com uma assistência para Lukaku assinar o 2-0.

Jurgen Klinsmann desesperou no banco dos Estados Unidos e puxou pelo brio dos “yankees”, que regressaram ao jogo determinados e foram premiados logo aos 107 minutos, com o “miúdo” Julian Greene, de 19 anos e fruto das escolas do Bayern de Munique, a reduzir.

Os derradeiros minutos foram de alta pressão americana sobre a defesa belga, mas, sem eficácia, caíram. A Bélgica mantém-se em prova e chega pela segunda vez aos quartos-de-final de um Mundial, onde vai enfrentar a Argentina e tentar repetir as meias-finais de 1986, onde caíram exatamente aos pés da então equipa de Diego Maradona.

Federação investiga “leões indomáveis”

Depois de uma eliminação precoce do Mundial, a seleção dos Camarões vê-se agora envolvida num escândalo de eventual manipulação de resultados, com suspeitas, em especial, sobre o jogo com a Croácia. A própria Federação dos Camarões abriu uma investigação sobre um caso que ameaça manchar a reputação dos leoes indomáveis.

Eliminados logo na fase de grupos depois de uma polémica contenda com a própria federação por causa dos prémios de presença na prova, a equipa de Samuel Eto’o saiu de cena com três derrotas.

Debaixo de suspeita, em particular, está o segundo jogo dos “leões indomáveis” na competição, no qual foram goleados pela Croácia, por quatro-zero.

A Federação camaronesa já tinha revelado ter aberto um inquérito para averiguar as causas da fraca prestação da equipa no Mundial. Algo a que também a Federação ganesa procedeu. As duas seleções africanas foram protagonistas de revoltas por parte dos jogadores por causa dos prémios de jogo e acabaram em último nos respetivos grupos – o Gana, curiosamente, foi a única equipa derrotada Portugal na prova na derradeira jornada.

Somos um fracasso a adivinhar resultados

Sem jogos esta quarta-feira e com dois dias de folga no Mundial, aproveitamos para fazer um balanço à eficiência da bola de cristal da nossa equipa de desporto, que se revela… um desastre. Depois de 56 jogos, por aqui, acertámos apenas em quatro resultados exatos. Vamos ter de melhorar muito nos oito jogos que restam.

Já sabe, também pode entrar neste jogo do adivinha através das nossas redes sociais recorrendo à “hashtag” #thecornerscores. Tente não ser tão mau como nós a advinhar

O melhor orgasmo começa na defesa

Milhares de adeptos de futebol estão de visita ao Brasil para seguir bem de perto o Mundial de futebol. Uns para ver os jogos nos estádios, outros simplesmente para participar no ambiente festivo bem caraterístico do país. Para muitos deles, esta é também uma viagem de turismo sexual. Perante esta realidade inegável, algumas associações aproveitaram para promover a luta contra as doenças sexualmente transmíssiveis.

O UNAids, o programa criado pelas Nações Unidas em 1996 com o objetivo de combater o vírus da SIDA, voltou a lançar uma campanha especial para o Mundial do Brasil, à imagem do que já havia feito há quatro anos na África do Sul. Realizada em colaboração com o Ministério da Saúde brasileiro e intitulada “Proteja o gol” (expressão brasileira que significa em português “proteger a baliza”), a campanha tem promovido variadas ações de prevenção e informação sobre o perigo das doenças sexualmente transmissíveis e também testes rápidos de deteção do vírus HIV.

A abertura dos oitavos-de-final, com o jogo Brasil-Chile, foi entretanto aproveitada para intensificar o programa junto dos adeptos do Mundial. Durante a transmissão do jogo em locais públicos, mais de 100 mil preservativos foram distribuídos de forma gratuita, acompanhados de informação sobre doenças sexualmente transmissíveis.

A ação foi bem recebida, em especial pelos pais. “Eu falo sempre com o meu filho sobre prevenção. Ele tem 10 anos, mas desde que era pequenino que tento alerta-lo para a importância da prevenção”, afirmou o brasileiro Nilton Cesar.

Desde o início do Mundial, ao abrigo desta campanha de prevenção contra o vírus da SIDA já foram realizados cerca de 900 testes rápidos de deteção do vírus HIV, tendo sido registados cerca de 30 casos positivos, que de imediato foram encaminhados para acompanhamento médico.

Em todo o Mundo, mais de 4,5 milhões de jovens entre os 15 e os 26 anos são portadores de SIDA. A cada dia, as estimativas indicam que há mais 2300 jovens infetados neste jogo de vida ou morte, que não passa apenas pelo sexo, mas também pela partilha de instrumentos no consumo de droga.

A campanha “Proteja o Gol” vai manter-se ativa no Brasil com o lema: “Neste jogo do sexo, não deixe a SIDA marcar.”