Última hora

Última hora

Eurodeputados anti-UE mostram com não temem a polémica

Em leitura:

Eurodeputados anti-UE mostram com não temem a polémica

Tamanho do texto Aa Aa

“A primeira sessão plenária do novo Parlamento Europeu (PE), onde se sentam agora 170 eurodeputados muito críticos da União Europeia (UE), foi marcada por alguns golpes de teatro”, destaca a enviada da euronews a Estrasburgo, em França.

Os deputados da extrema-direita francesa decidiram não se levantar quando o hino da UE foi tocado ao vivo, mas os membros do UKIP, liderado pelo eurocético britânico Nigel Farage, viraram mesmo costas aos músicos.

O líder dos Verdes, Philippe Lamberts, afirma que “se querem virar as costas à Europa, o que é que estão aqui a fazer? Não há razão para se sentarem numa instituição que desprezam. Penso que é politicamente incoerente e, em última análise, um desrespeito à democracia “.

Mas a assembleia saída das eleições de maio poderá esperar mais destabilização dos eurocéticos, que representam cerca de um quarto dos eurodeputados.

Um deputado do UKIP, Raymond Finch, disse: “Não consideramos que a UE tenha legitimidade e por isso não a aceitamos”.

O UKIP é um dos principais partidos que constituem o grupo Europa da Liberdade e da Democracia Directa, com 48 eurodeputados de sete países.

Entre eles, os eleitos pelo Movimento Cinco Estrelas, liderado pelo italiano Beppe Grillo, que não é eurodeputado, mas que foi convidado a visitar o PE nesta ocasião.