Última hora

Última hora

Finlândia acusa dois países estrangeiros de ataque informático

Em leitura:

Finlândia acusa dois países estrangeiros de ataque informático

Tamanho do texto Aa Aa

A Finlândia acusa dois estados estrangeiros de espionagem cibernética e de ataques informáticos durante vários anos.

Sem avançar nomes, o responsável dos serviços secretos afirmou que vários documentos governmentais teriam sido subtraídos por piratas informáticos a soldo de um a dois estados estrangeiros.

O caso tinha sido revelado pela primeira vez em Outubro, graças a uma informação transmitida por um “país aliado”, segundo o governo finlandês. A imprensa do país refere a possibilidade dos ataques serem dirigidos de países como Rússia e China.

“Nós sabemos que certos países estão por detrás destes crimes. Que países? Temos algumas pistas mas não vamos evocar em público nenhum nome. Eles sabem que nós sabemos”, afirmou o chefe dos serviços secretos finlandeses, Antti Pelttari.

Segundo a imprensa finlandesa os documentos “pirateados” incluiriam dezenas de relatórios sobre as relações da Finlândia com a União Europeia e a estratégia diplomática do país.

O governo afirma que os piratas não conseguiram aceder a informação secreta ou confidencial considerada sensível.

Os piratas teriam instalado programas de espionagem nos computadores do ministério dos Negócios Estrangeiros que teriam permitido copiar uma quantidade avultada de ficheiros.

Em paralelo, o governo norte-americano lançou esta quarta-feira um alerta a todos os operadores industriais do país para que revejam a segurança informática face à propagação de um programa de espionagem informático criado por um grupo de hackers – “Energetic Bear” – alegadamente ligado ao governo russo.

O programa “Havex Trojan” permite a infiltração de sistemas informáticos para recolher dados sobre a sua configuração, dados e atividades, podendo ser eventualmente utilizado para atos de sabotagem.

Segundo fontes diplomáticas em Washington, que evocam o ataque contra a Finlândia para justificar o alerta, as autoridades estão particularmente preocupadas com a segurança informática das empresas que operam nos setores chave da energia e indústria.