Última hora

Última hora

Israel sob pressão para investigar assassínio de jovem palestiniano

Em leitura:

Israel sob pressão para investigar assassínio de jovem palestiniano

Tamanho do texto Aa Aa

A aviação israelita voltou a bombardear, na noite de quarta-feira, várias posições do Hamas no norte da faixa de Gaza. Pelo menos 15 alvos foram visados durante o ataque que provocou pelo menos 10 feridos – um dos quais em estado grave – segundo fontes médicas palestinianas.

A ação, em resposta, segundo Israel, “aos ataques contínuos do Hamas sobre território israelita” ocorreu depois do movimento islamita ter organizado um protesto no centro de Gaza para apelar a uma intervenção da comunidade internacional.

“Este protesto é uma forma de condenar os crimes israelitas contra o nosso povo na Cisjordânia e em Jerusalém, em especial o rapto e assassínio do jovem Mohammed Abu Khdei. O Hamas confirma que estes crimes não vão enfraquecer a determinação do povo palestiniano”, afirmou o porta-voz do Hamas, Sami Abu Zuhri.

Pelo menos 15 rockets disparados de Gaza atingiram o território israelita na noite de quarta-feira, sem causar vítimas, mas provocando danos materiais e um corte de eletricidade em Sderot.

A espiral de violência parece imparável desde o rapto e assasínio de um jovem palestiniano, na terça-feira, em Jerusalém leste, um dia depois da descoberta dos corpos de três estudantes israelitas raptados há 3 semanas.

Tanto o presidente palestiniano, Mahmoud Abbas, como Washington exigiram a Israel que investigue e puna os responsáveis da morte do jovem palestiniano de forma a apurar se se tratou de um ato de vingança.

E enquanto a dúvida persiste, vários bairros de Jerusalém leste foram palco de confrontos violentos entre jovens palestinianos e o exército israelita que provocaram pelo menos 65 feridos, três dos quais atingidos por balas reais.