Última hora

Última hora

The Corner: Brasil joga contra si próprio, França procura vingança

Em leitura:

The Corner: Brasil joga contra si próprio, França procura vingança

Tamanho do texto Aa Aa

Restam oito equipas no Campeonato do Mundo. Chegou a altura de todas as decisões, que separa os bons dos grandes jogadores. O momento com que todos os jogadores sonham mas que nem todos têm capacidade para aguentar a pressão.

Em Fortaleza o Brasil terá um duro teste frente à Colômbia. Os cafeteros prometem um presente bem amargo para os canarinhos. No Rio de Janeiro, o Maracanã será palco de um duelo europeu entre França e Alemanha, com um cheiro a vingança a pairar no ar.

Pelo menos por parte dos franceses, eliminados pela Alemanha nas meias-finais em 1982 e 1986. É preciso recuar a 1958 para encontrar uma vitória gaulesa num duelo do Campeonato do Mundo frente aos alemães, mas em jogo estava apenas o terceiro lugar.

No entanto o passado já lá vai e no Brasil são os franceses a reunir o favoritismo. A única dúvida de Didier Deschamps está no ataque, entre Olivier Giroud e Antoine Griezmann.

Na Alemanha, o lesionado Shkodran Mustafi é o único indisponível mas a equipa está longe de se encontrar a cem por cento depois de um surto de gripe ter afetado sete jogadores.

A equipa germânica até entrou a todo o gás no mundial frente a Portugal mas não mais voltou a convencer. Terá de fazer bem melhor que frente à Argélia caso queira conquistar o primeiro título mundial em 24 anos.

O Brasil também ainda não conseguiu uma exibição de encher o olho no mundial. Ficou a centímetros da eliminação frente ao Chile e deixou jogadores e adeptos à beira de um ataque de nervos. Luiz Gustavo está castigado e deverá ceder o lugar no meio campo a Fernandinho.

Imune a críticas e excluindo a alteração forçada, Luiz Felipe Scolari deverá apostar nos mesmos de sempre para o desafio frente à Colômbia, que já não festeja uma vitória frente aos brasileiros desde 1991.

Los cafeteros já fizeram história no Brasil ao chegar pela primeira vez aos quartos-de-final de um mundial mas prometem não ficar por aqui. Enquanto o melhor jogador da competição até ao momento, James Rodríguez, mantiver o nível exibicional, não há motivos para deixar de sonhar.

A arma secreta do Brasil

Luiz Felipe Scolari até pode ser conhecido pela capacidade de motivar jogadores mas a pressão de jogar em casa tem sido demasiada. Como tal o sargentão recorreu aos serviços da psicóloga Regina Brandão para recuperar a equipa após o choque sofrido contra o Chile.

As dificuldades sentidas frente aos chilenos fizeram os brasileiros perceber que podem muito bem ser os protagonistas de um novo maracanazo.

Ainda antes do desempate por grandes penalidades já vários jogadores estavam banhados em lágrimas, o capitão Thiago Silva pediu para ser o último a marcar, atrás mesmo do guarda-redes Júlio César.

Com uma ajuda decisiva do guardião não foi preciso chegar a tanto mas ficou a imagem de uma equipa de rastos psicologicamente.

Regina Brandão foi a escolhida para inverter a situação, numa medida que está longe de ser inédita. Roy Hodgson fez questão de ter um psicólogo na seleção inglesa durante o mundial… com os resultados que todos conhecemos.

Dia de festa em Argel

A equipa argelina foi recebida em euforia no regresso a casa depois do brilharete alcançado no Campeonato do Mundo. Milhares de adeptos invadiram as ruas de Argel em homenagem às raposas do deserto e tornaram difícil imaginar o que aconteceria se por acaso ganhassem a competição.

A homenagem não deixa de ser merecida para uma equipa que nunca tinha chegado tão longe num Campeonato do Mundo e que se tinha despedido sem glória e sem um único golo marcado na África do Sul. A diferença que quatro anos fazem no futebol.

Quando um polvo é melhor que nós

A equipa de desporto da euronews não tem propriamente os dotes divinatórios do polvo paul. Normalmente chutamos ao lado nos nossos prognósticos e para os jogos de sexta-feira provavelmente vai acontecer o mesmo.

Contrariando toda a lógica e bom senso, acreditamos que a equipa da casa vai ser surpreendida pela Colômbia. Dada a nossa taxa de sucesso, só pode ser uma boa notícia para o Brasil. Não querendo agoirar, para o França-Alemanha, arriscamos numa vitória dos franceses.

Também pode dar o seu palpite nas redes sociais usando a hashtag #TheCornerScores