Última hora

Última hora

Cisjordânia: O outro lado da tragédia

Em leitura:

Cisjordânia: O outro lado da tragédia

Tamanho do texto Aa Aa

Em Hebron, na Cisjordânia, a euronews foi conhecer o outro lado da história da morte dos três jovens israelitas, que desencadeou a mais recente onda de violência.

A família de Amer Abu Easha, um dos acusados, além de ter visto o filho ser preso por Israel, ainda viu parte da casa ser destruída pelo Tsahal.

Para a mãe, não há dúvidas – o jovem está inocente: “Estas ruínas só fazem aumentar a minha força e a minha determinação em dizer que a ocupação israelita raptou o meu filho desde o primeiro dia deste incidente. Ele está preso em Israel e não há nenhuma prova de que ele tenha feito aquilo”, diz.

O pai de Marwas Alkawasemi, outro dos acusados, tem a mesma posição. Para ele, tudo não passa de uma encenação de Israel, com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu a prometer vingança a todo o custo: “Israel mente, os media israelitas mentem. As acusações estão sempre prontas e preparadas com antecedência. Nem sequer ouvimos o que eles tinham a dizer, é tudo uma mentira”.

A morte dos três israelitas, que pediam boleia no sul da Cisjordânia, causou uma onda de violência que teve o ponto mais alto com a tortura e morte de um jovem palestiniano.

Enquanto os palestinianos continuam a negar as acusações de que são alvo, a realidade do que aconteceu continua a levantar muitas questões. Reportagem do correspondente da euronews no Médio Oriente, Mohammed Shaikhibrahim.