Última hora

Última hora

The Corner: Já só quatro equipas têm direito a sonhar

Em leitura:

The Corner: Já só quatro equipas têm direito a sonhar

Tamanho do texto Aa Aa

As quatro melhores seleções do planeta têm direito a dois dias de descanso antes de discutirem um lugar no encontro decisivo. Duas equipas sul americanas e duas europeias procuram na terça e na quarta-feira um lugar na final do Maracanã.

Mesmo jogando em casa, o Brasil não tem tido vida fácil no mundial. Ainda não fez nenhuma exibição de encher o olho e se no encontro frente ao Colômbia até já se viram algumas melhorias, foi também o encontro onde perderam o capitão Thiago Silva e o craque Neymar para o desafio das meias-finais frente à Alemanha. A vitória até pode ser sinónimo de festa para os brasileiros mas para uma equipa sobre brasas será sobretudo um alívio.

A única vez que O Brasil defrontou a Alemanha num mundial venceu por 2-0, com dois golos de Ronaldo, na final de 2002. Miroslav Klose é o único sobrevivente dessa equipa no conjunto alemão e está a um golo de se vingar e ultrapassar o fenómeno como o maior goleador de sempre em Campeonatos do Mundo. A Alemanha também não tem impressionado, como fez há quatro anos, por exemplo, mas compensa com uma maior solidez defensiva.

A Argentina é a única equipa que venceu todos os encontros disputados. Foram cinco vitórias, todas pela margem mínima, conseguidas graças ao talento dos artistas que jogam no último terço do terreno. É claramente uma equipa onde a qualidade individual se sobrepõe à coletiva. A defesa é o ponto fraco mas a verdade é que a albi-celeste ainda não sofreu golos nos jogos a eliminar.

A única vitória em quatro duelos no mundial frente à Holanda remonta a 1978, mas valeu o primeiro título para os argentinos.

A laranja mecânica encantou no jogo inaugural frente à Espanha mas não mais voltou a brilhar. Tem o melhor ataque da competição, a par da Colômbia, mas ficou em branco frente a Costa Rica e só na reta final do encontro conseguiu marcar ao México.

A decisão arrojada de van Gaal

Louis van Gaal ascendeu ao estatuto de herói. A segundos do fim do prolongamento, o técnico holandês surpreendeu tudo e todos ao substituir o guarda-redes tendo em vista os penáltis. Uma situação inédita no mundial, mas que valeu a vitória à laranja mecânica.

Tim Krul defendeu dois penáltis, tantos quanto em cinco épocas no Newcastle, e justificou por completo a aposta.

Ainda assim a decisão do técnico holandês não escapou às críticas. Para Fabio Cannavaro tratou-se de uma falta de respeito para o guarda-redes titular Jasper Cillessen.

No entanto tudo está bem quando acaba bem. Em 2012, o técnico do Greuther Fürth, Michael Büskens, tentou usar a mesma estratégia num encontro da Taça da Alemanha frente ao Borussia Dortmund.

Acabou derrotado no último minuto do prolongamento com um golo na própria baliza do guarda-redes que tinha acabado de entrar, Jasmin Fejzić.

Dinamarca sagra-se campeã do mundo

Faltam seis dias para a final do Maracanã mas houve quem já tivesse tido a oportunidade de levantar a Taça e sagrar-se campeão do mundo de futebol… virtual.

É o caso de August Rosenmeier. A Dinamarca até pode ter falhado a qualificação para o Brasil mas Rosenmeier salvou a honra do país ao garantir o título no campeonato do mundo dos videojogos. O dinamarquês foi ao Rio de Janeiro derrotar na final o inglês David Bytheway.

Além de receber o prémio das mãos de Ronaldo, ainda levou para casa um cheque no valor de 20 mil dólares.