Última hora

Última hora

Tommy Ramone: História do punk perde mais um ícone

Em leitura:

Tommy Ramone: História do punk perde mais um ícone

Tamanho do texto Aa Aa

O único sobrevivente do grupo de música punk The Ramones morreu esta sexta-feira, aos 62 anos, em Queens, Nova Iorque. Um dos quatro fundadores da banda, Tommy Ramone foi baterista do grupo entre 1974 e 78. Há muito que este ícone do movimento punk lutava contra um cancro na vesícula biliar. Uma luta que acabou por perder.

Autor e compositor de êxitos como “I Wanna Be Your Boyfriend” e “Blitzkrieg Pop”, Tommy era não só o último dos quatro membros originais do grupo ainda vivo, mas foi também o único a ultrapassar a barreira dos 60 anos de idade.

O antigo intérprete da banda, Joey Ramone, tinha sucumbido a um linfoma, em 2001, aos 49 anos de idade. Dee Dee, o baixista, morreu meses depois, vítima de uma “overdose”. Johnny Ramone, o guitarrista e compositor, morreu igualmente de doença prolongada em 2004, com 55 anos de idade.

A morte de Tommy põe um fim definitivo aos fundadores de uma das bandas mais mediáticas da génese do punk, formada em 1974 e dissolvida 22 anos depois. Mas cuja música continua a ouvir-se ao vivo através das recorrentes “Blitzkrieg Tour”, as digressões em nome próprio e com músicos convidados de Marky Ramone, o baterista que tomou o lugar de Tommy no quarteto em 1978.