Última hora

Em leitura:

Gaza: Netanyahu descarta cessar-fogo imediato


Faixa de Gaza

Gaza: Netanyahu descarta cessar-fogo imediato

A ofensiva israelita em Gaza parece entrar numa nova fase depois de um comando da marinha ter realizado uma curta incursão terrestre no território, este domingo. Informações não confirmadas dão conta de um novo ataque da marinha israelita, esta tarde, contra a base do Hamas em Rafah.

Ao sexto dia da ofensiva, os bombardeamentos provocaram, até agora, a morte de pelo menos 160 palestinianos, ferindo mais de mil, num momento em que um responsável do Tsahal (exército israelita) ameaça aumentar a intensidade dos ataques esta noite.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu continua a descartar qualquer possibilidade de um cessar-fogo imediato, “nós vamos prosseguir a operação para atingir o nosso objetivo, restaurar a calma por um longo período, desferindo um golpe importante ao Hamas e a outros grupos terroristas e estamos preparados para todas as possibilidades”.

Israel garante que a operação vai prosseguir, sem para já avançar com uma ofensiva terrestre, quando centenas de tanques e milhares de reservistas estão a postos às portas de Gaza.

Apesar da aparente inflexibilidade do executivo israelita, um possível plano de paz poderia estar a elaborado nos bastidores. Segundo a imprensa israelita, o governo teria discutido hoje uma proposta para aumentar a ajuda financeira aos territórios palestinianos, em troca da desmilitarização de todo o território. A proposta prevê igualmente um acordo por parte do Irão, possivelmente mediado pelos EUA, para suspender o fornecimento de armas aos grupos armados em Gaza.

Os rockets do Hamas e da Jihad Islâmica voltaram a atingir, este sábado, várias regiões israelitas, provocando apenas estragos materiais.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Costa Concordia volta a flutuar