Última hora

Última hora

Itália: Os últimos dias do Costa Concórdia na ilha de Giglio

Em leitura:

Itália: Os últimos dias do Costa Concórdia na ilha de Giglio

Tamanho do texto Aa Aa

Na véspera do início da complexa operação de reboque do paquete naufragado Costa Concórdia, cidadãos da ilha italiana de Giglio, trabalhadores de resgate e dirigentes políticos realizaram uma procissão em memória das 32 vítimas mortais da tragédia de janeiro de 2012.

A procissão de cerca de 100 pessoas foi conduzida por um padre local que na altura ajudou a abrigar parte dos 4 mil passageiros e tripulação.

Esta segunda-feira começam os trabalhos para pôr o navio a flutuar.

“Penso que esta operação não acaba aqui e não termina quando o Costa Concordia chegar ao porto de Génova. O objetivo mais importante é proteger o ambiente”, anunciou o ministro italiano do Ambiente, Gian Luca Galletti.

A operação para colocar o navio de 114 mil toneladas a flutuar vai durar uma semana, um procedimento inédito com flutuadores.

A embarcação vai depois ser rebocada até ao porto de Génova onde será desmantelada e enviada para a sucata.

A operação deverá custar no total mais de 1500 milhões de euros.