Última hora

Última hora

Oito anos a "twittar"

Em leitura:

Oito anos a "twittar"

Tamanho do texto Aa Aa

Foi há oito anos que nasceu a rede social Twitter. Estávamos em 2006 quando Jack Dorsey, Evan Williams, Biz Stone e Noah Glass desenvolveram esta ferramenta, nos Estados Unidos. Tinha como objetivo ser uma espécie de rede de envio de SMS, através da internet. Inicialmente chamava-se Twttr, relembrando o piar de um pássaro, que é, aliás, o logótipo da marca.

Mas as mudanças geopolíticas, a necessidade de chegar, rapidamente, a um público o mais vasto possível, acabaria por fazer com que as redes sociais ganhassem uma nova dimensão. O Twitter não ficou atrás. Elas acabaram por transformar-se no veículo, por excelência, da proliferação de mensagens de reivindicação, de incitação ao protesto. Foi o que aconteceu na chamada “Primavera Árabe”. Através das redes sociais apelava-se ao protesto, pedia-se às pessoas que saíssem às ruas.

Pode dizer-se que estas redes tiveram um papel preponderante na mudança, mas não só. Hoje, através da internet e das redes sociais, em particular, a informação circula “à velocidade da luz”. Através do Twitter, rede que se “expressa” em mais de 35 línguas, é possível compreender, por exemplo, o que se passou no Egito ou na Síria. Mesmo os decisores políticos, com o antigo Presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, se servem desta rede para fazer passar as suas mensagens.

Em março deste ano, na Turquia, a guerra, em torno das redes sociais, estava lançada. O Primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, bloqueava o acesso a estes veículos de comunicação virtuais enquanto o Presidente, Abdullah Gul, condenava a decisão. No mesmo dia, no Twitter, o porta-voz da chanceler, Angela Merkel, escrevia: “numa sociedade livre, cabe aos cidadãos e não aos Estados decidirem como comunicam”.

Na final do Mundial de Futebol do Brasil escreveram-se mais de 32 milhões de “twittes”. O cantor norte-americano, Justin Bieber, tem mais de 40 milhões de seguidores no Twitter. As redes sociais são, de facto, uma forma de estarmos ligados ao mundo, num milésimo de segundo, se a ligação o permitir. Elas aproximam-nos, encurtam distâncias, dão-nos a conhecer outras realidades. São mais uma forma de viajarmos, em tempo real, à velocidade da banda larga, preferencialmente, mas sem sairmos do nosso lugar.

Factos sobre o Twitter:

255 milhões de utilizadores ativos por mês;

500 milhões de “Tweets” enviados por dia;

78% dos utilizadores ativos do Twitter são móveis;

77% representam contas fora dos EUA;

O Twitter suporta mais de 35 línguas;

Segundo o grupo de sondagens norte-americano Web Ecology, a língua portuguesa é a segunda mais utilizada pelo Twitter;

Em junho de 2011, o Twitter terminou de ser traduzido para português;

No Brasil, o Twitter só começou as operações em novembro de 2012.