Última hora

Última hora

Os bispos já não têm sexo em Inglaterra

Em leitura:

Os bispos já não têm sexo em Inglaterra

Tamanho do texto Aa Aa

É uma decisão histórica. Pela primeira vez em cerca 500 anos as mulheres já podem ser ordenadas bispo, em Inglaterra. A primeira nomeação deve ocorrer, ainda, este ano.

A Igreja Anglicana pôs fim às divisões, esta segunda-feira, em York, no norte de Inglaterra, depois do sínodo geral, ter votado a favor da proposta do arcebispo da Cantuária.

Por uma questão de formalidade, a medida tem, ainda, de ser debatida no Parlamento britânico e aprovada pela rainha Isabel II antes de se tornar efetiva.

“Custa-me a entender porque é que esta mudança foi tão difícil para algumas pessoas. Percebo que não seja fácil e que muitos dos que votaram a favor da ordenação de mulheres tiveram de percorrer um longo caminho para aqui chegar” afirma a sacerdotisa Emma Percy.

A proposta foi aprovada por uma larga maioria. Em 433 votos, apenas 72 votaram contra. 10 abstiveram-se. Senão vejamos, a votação foi feita pelas diferentes “casas” da igreja, tendo a Câmara dos Bispos votado 37 a favor, dois contra e uma abstenção, a Casa do Clero teve 162 votos a favor, 25 contra e quatro abstenções e a Câmara dos Leigos 152 a favor, 45 contra e cinco abstenções.

A decisão contraria a anterior rejeição de 2012.

“Não queria acreditar no resultado da votação. Esperamos tanto tempo e tivemos várias vezes a sensação de estar perto e, desta vez, aconteceu. O sínodo disse sim” refere sacerdotisa, Hilary Cotton.

Em 1989, Barbara Harris tornou-se na primeira mulher a ser ordenada bispo nos Estados Unidos. Os anglicanos da Nova Zelândia seguiam o exemplo, um ano mais tarde, com a ordenação de Penelope Jaimeson, influenciando, países como o Canadá e a Austrália.
Os Estados Unidos voltam, no entanto, a fazer história em 2006 com Katharine Jefferts Schori entronizada a primeira mulher primaz da Igreja Episcopal norte-americana.