Última hora

Última hora

Líderes "vão a banhos" antes do embate sobre altos cargos da UE

Em leitura:

Líderes "vão a banhos" antes do embate sobre altos cargos da UE

Tamanho do texto Aa Aa

Havia vários nomes na mesa e na mesa ficaram. Os cargos de chefe da diplomacida da União Europeia (UE) e de presidente do Conselho Europeu ficaram sem destinatários porque os 28 Estados-membros não chegaram a acordo numa maratona negocial, na quarta-feira, em Bruxelas.

Questionado sobre a mediação do ainda presidente do Conselho Europeu, o analista David O’Leary, da consultora Burson-Marsteller, disse à euronews que “Herman van Rompuy terá conversado com os governantes de cada um dos países para tentar criar o consenso”.

“Mas no final das contas existiam demasiadas divergências, nomeadamente sobre o cargo de chefe da diplomacia europeia, para o qual o governo italiano faz questão de indicar a sua ministra dos Negócios Estrangeiros. Penso que o atual contexto e as preocupações dos países da Europa de Leste não foram tidos em conta”, explicou.

A cimeira ocorreu no dia seguinte à confirmação de Jean-Claude Juncker como presidente da Comissão Europeia (CE).

O político luxemburguês teve oportunidade de explicar os seus planos para o novo executivo e os perfis desejados na equipa.

O equilíbrio de género é um dos desafios, diz David O’Leary: “O problema que enfrenta é o de organizar a equipa certa ao olhos do público e do Parlamento Europeu, pelo que terá de ter pelo menos 10 mulheres. Até agora foram apresentados 13 candidatos e não há uma única mulher entre eles”.

Nova cimeira sobre o tema já foi convocada para 30 de Agosto. A próxima CE toma posse a 1 de Novembro e terá de incluir o chefe da diplomacia.

O analista espera que nessa altura haja “mais ação, decisões concretas, porque já estamos a chegar a um ponto em que UE dá uma imagem de pasmaceira”.

“É um bocado ridículo que não se tomem essas decisões de modo a que os cargos sejam ocupados e se comece a trabalhar no que realmente interessa às pessoas, que é o crescimento da economia e a criação de emprego”, acrescentou David O’Leary.