Última hora

Última hora

México: Crianças e adultos viviam em abrigo onde eram abusados

Em leitura:

México: Crianças e adultos viviam em abrigo onde eram abusados

Tamanho do texto Aa Aa

No México, mais de 450 crianças e cerca de 140 adultos, viviam cativos num abrigo, na cidade de Zamora, no oeste do país, onde sofriam, alegadamente, diversos abusos.

Polícia e militares invadiram a casa, conhecida como “La Gran Familia”, fundada em 1947, depois das autoridades terem recebido mais de 50 queixas, algumas de pais que garantiam que o abrigo se negava a devolver-lhes as suas crianças:

“Os bebés que nasciam no abrigo eram registados em nome da fundadora do mesmo, como forma de prevenir que os pais biológicos conseguissem a sua guarda ou tomassem decisões sobre as crianças, era garantido que, quando atingissem a maioridade poderiam partir”, explicou, em conferência de imprensa, Tomás Zerón de Lucio, o responsável pela divisão de investigação criminal.

O abrigo, onde os ocupantes viviam em condições deploráveis, era administrado por Rosa Verduzco, que foi entretanto detida.

Segundo as autoridades mexicanas as crianças pediam esmola na rua, alimentavam-se de comida estragada e dormiam no chão. Algumas sofreram abusos sexuais.

O financiamento vinha de doações, empresas e entidades públicas.