Última hora

Última hora

Austrália: Homenagem e acusações no rescaldo da queda do voo MH17

Em leitura:

Austrália: Homenagem e acusações no rescaldo da queda do voo MH17

Tamanho do texto Aa Aa

Foi com aplausos, seguidos por um minuto de silêncio que começou, em Melbourne, na Austrália, a 20ª edição da Conferência Internacional sobre VIH/SIDA.

Um minuto para relembrar as vítimas do “acidente” que ocorreu na Ucrânia, com um avião da Malaysia Airlines, e que matou alguns dos participantes deste encontro.

A Austrália pediu ao Conselho de Segurança das Nações Unidas uma resolução vinculativa sobre a abertura de uma investigação independente ao incidente. No voo MH17 seguiam 28 australianos. Para o Primeiro-ministro o comportamento russo é inadmissível:

“Ontem pedi ao ministro russo do comércio uma reunião e deixei claras as minhas preocupações e insatisfação pela forma como isto está a ser tratado. Os russos controlam o território, os russos apoiam os rebeldes, da mesma forma que lhes fornecem armas por isso não podem lavar daí as suas mãos”.

Este domingo, o chefe do executivo australiano participou numa missa em homenagem aos passageiros e equipa deste voo.

O Boeing 777, da Malaysia Airlines, que transportava quase trezentas pessoas a bordo, perdeu a comunicação com terra na região de Donetsk, palco de combates entre forças governamentais ucranianas e rebeldes pró-russos.