Última hora

Última hora

Os duetos de Joseph Calleja no concerto de verão em Malta

Em leitura:

Os duetos de Joseph Calleja no concerto de verão em Malta

Tamanho do texto Aa Aa

O concerto de verão é um dos grandes eventos culturais da Ilha de Malta. O tenor maltês Joseph Calleja é o anfitrião do evento e canta em dueto com artistas de vários horizontes artísticos. O objetivo do espetáculo é promover a música clássica apresentando-a de forma diferente do habitual.

“Não conheço outros eventos onde exista esta mistura. Já fiz muitos festivais. É como um cavalo de Tróia, usando a música pop. Muitas pessoas vieram esta noite por causa da música pop de Leona Lewis e Claudio Baglioni e acabam por ouvir música clássica”, disse Joseph Calleja.

Leona Lewis, vencedora do concurso Fator X no Reino Unido em 2006, era uma das estrelas mais aguardadas da noite. O artista italiano Claudo Baglioni cantou o clássico dos anos 70 «Questo piccolo grande amore».

É triste mas as vendas de música clássica estão em queda e temos de encontrar novas formas de atrair o público e esta é uma delas”, sublinhou Calleja.

Leona Lewis cantou um dos seus últimos grandes sucessos, o single Bleeding Love, lançado em 2008.

“É fantástico, Estudei música clássica em criança, sempre gostei de cantar música clássica e ópera. Os tenores são poderosos, tenho uma grande admiração pela força e energia dos tenores e gosto de aprender com pessoas assim que me ajudam a cantar melhor”, disse Leona Lewis.

Joseph Calleja convidou a mezzo-soprano maltesa Federica Falzon para cantar em dueto. A artista de 11 anos vai representar o país no Festival Eurovisão da Canção Júnior em novembro.

Clare Ghigo foi outra das estrelas em ascensão convidadas para a noite de festa.

“É a minha primeira experiência num palco deste tamanho e cantar ao ar livre é bastante exigente para a voz, porque aprendemos a cantar em espaços interiores mas claro hoje em dia é preciso ser versátil, e penso que conseguimos”, confessou a cantora maltesa.

Bryn Terfel impressionou o público com o seu timbre de baixo-barítono e uma grande dose de energia.

“Comecei a cantar muito cedo e os meus pais ajudaram-me bastante. Não foi fácil ser cantor, alguns dos meus colegas de escola riam-se de mim mas eu segui em frente. Temos de seguir o talento que nos foi dado”, afirmou o artista galês.