Última hora

Última hora

ONU aprova investigação internacional sobre o atentado ao MH17

Em leitura:

ONU aprova investigação internacional sobre o atentado ao MH17

Tamanho do texto Aa Aa

O Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade, uma resolução que pede investigação internacional independente sobre a queda do avião da Malaysia Airlines, ocorrida em 17 de julho e que matou 298 pessoas no leste da Ucrânia.

A Rússia votou com Estados Unidos, Reino Unido e França a favor do texto proposto pela Austrália que pede “acesso seguro” dos investigadores ao local.

“É lamentável que este acesso não tenha sido dado imediatamente. É uma afronta às vítimas e às suas famílias. Todos os Estados, grupos armados, todos devem colaborar na investigação.”

A Austrália, país de origem de 37 das 298 vítimas, pediu claramente o fim das atividades militares em torno dos destroços do avião e acesso reservado aos peritos internacionais.

Vitaly Churkin, embaixador da Rússia na ONU garante que a rússia está a colaborar:

“A Rússia está pronta para oferecer toda a assistência necessária na organização e realização de investigações internacionais imparciais. Membros militares russos e outros funcionários já foram fornecidos com as instruções necessárias”.

Um anúncio que vem tarde. O jogo e a ambiguidade de Moscovo desde o início da crise ucraniana não passam despercebidom

Samantha Power, embaixador dos EUA na ONU lembra:

“Congratulamo-nos com o apoio da Rússia para a resolução de hoje, mas nenhuma resolução teria sido necessário se a Rússia tivesse usado a sua influência sobre os separatistas na quinta-feira, levando-os a depor as armas e deixar o local aos especialistas internacionais”.

Para o embaixador russo Vitaly Churkin, é a Organização de Aviação Civil Internacional que deve conduzir a investigação.