Última hora

Última hora

Regras simples para melhorar a qualidade do sono e a saúde

Em leitura:

Regras simples para melhorar a qualidade do sono e a saúde

Tamanho do texto Aa Aa

Quase um terço da população europeia tem problemas de sono.

Em Portugal, metade dos adultos queixa-se de insatisfação com o sono.

Segundo estudos recentes, o problema é particularmente grave entre as crianças portuguesas. Os pais tendem a deitar os filhos demasiado tarde. A televisão e o uso de ecrãs no quarto têm um impacto negativo na qualidade do sono.

A falta de sono aumenta o risco de ter hipertensão, diabetes, obesidade, insucesso escolar, hiperatividade e depressão.

Um quinto da população europeia trabalha de noite ou com horários irregulares, o que tem um impacto importante na saúde.

Alain Nicolas, médico no hospital ‘Les Vinatiers’ em Lyon e é especialista nas questões do sono.

Alain Nicolas: “Há uma tomada de consciência do problema devido ao desenvolvimento da medicina do sono nos últimos trinta, quarenta anos sobretudo na Europa. Temos também mais queixas, em relação aos problemas de sono em geral e mais problemas de insónia porque o modo de organização da sociedade exerce maior pressão sobre o sono”.

euronews: “Qual é o impacto das novas tecnologias?”

Alain Nicolas: “Em relação às novas tecnologias, o problema mais importante são os ecrãs LED. Produzem uma luz azulada que tem um impacto importante no nosso relógio biológico, com tendência para retardar a hora a que as pessoas se deitam e se levantam. Isso tem um impacto sobre o conjunto da população mas sobretudo entre os jovens. Os adolescentes deitam-se cada vez mais tarde”.

euronews: “Nas sociedades rurais, as pessoas seguiam o ritmo do sol, hoje tudo isso mudou. Qual é o impacto dessa mudança no sono?

Alain Nicolas: “A espécie humana adaptou-se à alternância dia/noite. Tanto ao nível do dia como das estações, o que não era mal. Dizemos frequentemente que Edison é a pessoa mais nefasta para o sono, porque ao inventar a luz elétrica, acabou com a noite. As pessoas podem trabalhar ou divertir-se 24 horas por dia, tudo isso em detrimento do sono”.

euronews: “O que fazer para dormir melhor?

Alain Nicolas: “É preciso encontrar um sítio fechado, calmo onde nos sentimos em segurança para dormir onde vamos poder relaxar e pensar apenas numa coisa, dormir. É importante esquecer o relógio despertador e concentrar-se sobre o sono e a sensação do sono a chegar”.

euronews: “Quando alguém acorda a meio da noite, o que deve fazer?

Alain Nicolas: “O melhor é levantar-se. As pessoas não o fazem porque têm a impressão que vão despertar. Na realidade, é importante levantar-se, sentar-se num local calmo com uma luz fraca e ler um pouco para pensar noutra coisa. Lemos cinco páginas, acabamos o capítulo e nessa altura o sono volta, vamos para a cama e voltamos a adormecer

euronews: “É recomendável ter uma televisão no quarto?

Alain Nicolas: “O mais importante é a pessoa não ir para a cama ver televisão deitado, às oito da noite, ver três horas de televisão e pensar que às onze horas vai apagar a televisão e dormir. Isso nunca funciona. Quando ficamos durante três horas numa posição horizontal, o corpo não entende porque razão o impedimos de dormir durante essas três horas. Isso provoca uma diminuição importante da pressão do sono. Além disso, aumentámos a temperatura da cama e quanto mais elevada é a temperatura da cama mais díficil é dormir. Por isso não é recomendável ter televisão no quarto”.