Última hora

Última hora

União Europeia debate em Bruxelas tragédias do voo MH17 e de Gaza

Em leitura:

União Europeia debate em Bruxelas tragédias do voo MH17 e de Gaza

Tamanho do texto Aa Aa

Os conflitos na Faixa de Gaza e na Ucrânia – neste particular os contornos que rodeiam a investigação sobre a trágica queda do voo MH17 das Linhas Aéreas da Malásia – estão em discussão esta terça-feira, em Bruxelas, pelos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia. O eventual agravar de sanções à Rússia está sobre a mesa, por causa do alegado abate do avião comercial, na quinta-feira, que fez quase 300 mortos.


À entrada para reunião, a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, dizia esperar que Vladimir Putin evitasse o agravar das sanções europeias: “Apelamos à Rússia para fazer o que lhe compete, isto é, garantir que os separatistas colaborem de facto com os observadores e com aqueles que estão a tentar investigar o local da queda do avião.”


O agravar da pressão europeia sobre o Kremlin ganhou forte impulso perante as suspeitas de o avião comercial da Malaysian Airlines ter sido abatido pelos separatistas ucranianos através de um míssil fornecido pela Rússia, o que Moscovo nega. Reino Unido, França e Alemanha pedem mão ainda mais pesada sobre a Rússia, que pouco fez, entretanto, para ajudar na investigação do sucedido com o aparelho que fazia a ligação entre Amesterdão, na Holanda, e Kuala Lumpur, na Malásia, com 193 holandeses, 10 britânicos, 4 alemães e 4 belgas entre os 283 passageiros, a que se somavam 15 tripulantes de origem malaia.

Com Rui Machete em Timor Leste, na cimeira de Dili da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a representação de Portugal nesta reunião dos 28 em Bruxelas foi delegada em Bruno Maçães, o secretário de Estado para os Assuntos Europeus.


A meio da tarde desta terça-feira é esperada uma conferência de imprensa de Catherine Ashton para divulgar as conclusões desta reunião.