Última hora

Última hora

Holanda: Dor, revolta e incredulidade

Em leitura:

Holanda: Dor, revolta e incredulidade

Tamanho do texto Aa Aa

Euronews – Estamos com James Franey o nosso correspondente em Eindhoven.
James, a mágoa na cidade é grande…

James Franey – Percorremos algumas ruas da cidade esta manhã e na verdade sente-se que existe um misto de dor, revolta e incredulidade. Muitas pessoas interrogavam-se como pode isto ter acontecido a cidadãos holandeses. Muitos deles tinham terminado a escola, a universidade e iam gozar as suas férias anuais na Malásia e noutros países.

Existe muita revolta não só nas ruas de Eindhoven, mas em toda a Holanda. Veja-se as incontáveis homenagens e ramos de flores depositados no aeroporto de Schipol, em Amesterdão, durante os últimos dias”

Euronews – De que forma essa dor uniu o povo da cidade?

JF – Não foi só o povo desta cidade, mas de todo o país. Há alguns instantes, às 04:00 , o país parou para um minuto de silêncio. Não só os dignatários aqui, mas também as escolas, os escritórios, os transportes públicos, a televisão, a rádio pararam por completo em homenagem aos cidadãos holendeses que perderam a vida naquele voo.

Euronews – O regresso dos corpos colocou os olhos do mundo na cidade. Amanhã é dia de regresso ao trabalho. Quão difícil vai ser para as pessoas regressar a uma vida, de certa forma, normal?

JF – As pessoas de Eindhoven já começaram a tentar regressar a uma vida normal. Houve homenagens nas igrejas e escolas de todo o país, o que é uma forma de os holandeses tentarem lidar com esta terrível tragédia.