Última hora

Última hora

Em leitura:

Protetor solar de espinhas de bacalhau


science

Protetor solar de espinhas de bacalhau

Chegou o verão e o calor… Com o corpo mais exposto, é necessário proteger a pele contra os raios ultravioleta.

São vários os produtos que prometem ser eficazes contra os malefícios do sol mas nenhum feito à base de espinhas de bacalhau… Pelo menos até agora.

Cientistas da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica do Porto desenvolveram um protetor solar com base neste subproduto alimentar.

O pó foi obtido transformando as espinhas de bacalhau com um tratamento numa solução de ferro e de um fosfato de cálcio designado hidroxiapatite, seguido de um aquecimento a 700 graus célsius. O material resultante torna-se absorvente na radiação ultravioleta.

A cientista, Clara Piccirillo, informa que “a hidroxiapatite é um fosfato de cálcio que é um composto muito biocompatível porque é o componente principal dos nossos ossos e também contém um pouco de ferro.”

Os cientistas acreditam que este pó absorve as luzes ultravioletas UVA e UVB, as mais perigosas para a saúde humana, que podem danificar o ADN e causar doenças como o cancro da pele. É por isso que pode assim ser classificado como protetor solar cinco estrelas, o correspondente a máxima proteção.

“Fizemos testes humanos em que aplicámos o creme e verificámos que não havia qualquer irritação da pele, portanto é seguro na sua utilização. Provámos, também, que a proteção solar, o filtro solar, que existe nos componentes da hidroxiapatite, com ferro, continuavam a manter-se após incorporação no creme protetor”, informa a cientista Manuela Pintado.

Se até agora o bacalhau fazia as delícias na gastronomia portuguesa, o fiel amigo pode agora, também, ajudar a combater os malefícios da exposição solar na pele.

Escolhas do editor

Artigo seguinte
Regras simples para melhorar a qualidade do sono e a saúde

science

Regras simples para melhorar a qualidade do sono e a saúde