Última hora

Última hora

Gaza sem abrigos para desalojados

Em leitura:

Gaza sem abrigos para desalojados

Tamanho do texto Aa Aa

A população de Gaza já não tem abrigos para se esconder. Os ataques israelitas deixaram de diferenciar os alvos. Escolas, hospitais, bairros inteiros são destruídos, os civis morrem diariamente às dezenas.

“É desta segurança que falam? Neste abrigo estamos sob os bombardeios! Quando eles visam as nossas casas, nós fugimos. Quando chegamos a este acampamento as bombas seguem-nos. Nenhum lugar é seguro”, diz um palestiniano. “Venham filmar como nós vivemos. Há aqui 55 pessoas neste quarto. Veja. Crianças. Isto não é aceitável”, declara outro.

Entre os mais recentes deslocados estão milhares de pessoas que fugiram de Shegaia bombardeada durante quatro dias consecutivos.

Atualmente o número de palestinianos mortos pela ofensiva israelita contra Gaza atingiu hoje 701 na sua maioria civis e 4.525 feridos.

Em torno da cidade sulista de Khan Yunis morreram esta quarta-feira cerca de trinta pessoas.

“Eu rezo para que o Hamas não me deixe morrer. Que fizemos a Israel para nos atacar e destruir as nossas casas? Por que nos matam? Peço às forças israelitas para nos deixarem. Nós não somos da resistência. Esta é a minha casa de a da minha família. Não sei porque estamos nesta situação. Nós vivíamos bem nas nossas casas. Porque nos fazem isto? Onde está a comunidade internacional”, afirma uma criança.

A repórter da euronews comenta: Estas crianças de apenas dez anos palavras falam de política e da guerra . É difícil de acreditar que esta geração, com o que eles passaram, serão capazes ou dispostos a contribuir com os esforços para o futuro da paz na região.