Última hora

Última hora

Chegaram à Holanda mais corpos das vítimas do avião da Malaysia Airlines

Em leitura:

Chegaram à Holanda mais corpos das vítimas do avião da Malaysia Airlines

Tamanho do texto Aa Aa

Dois aviões militares com mais corpos de vítimas do avião malaio que se despenhou na Ucrânia chegaram quinta-feira à Holanda.

Após uma cerimónia protocolar no aeroporto de Eindhoven, as 74 urnas com os restos mortais foram transportadas para a base militar de Hilversum, perto de Amesterdão, onde os corpos serão identificados por uma equipa de especialistas holandeses e de médicos legistas vindos de vários países. Uma tarefa que poderá levar meses.

Na cidade ucraniana de Kharkiv, onde estão concentrados os peritos que tentam examinar os destroços do aparelho, também foi prestada homenagem às vítimas do desastre.

Apesar de as caixas negras do avião já terem sido facultadas aos especialistas para análise, o chefe da equipa holandesa que coordena as investigações no local da queda do aparelho denunciou que os especialistas foram expulsos do local por homens armados.

“Ainda há alguns lunáticos que nos atacam, o que nos dificulta o acesso aos corpos para os resgatar. Vocês chamam-lhes terroristas. Para mim são criminosos, o que é quase a mesma coisa”, disse Jan Tuinder.

A comunidade internacional exigiu uma investigação rigorosa às causas da queda do avião da Malaysia Airlines que se despenhou nos arredores de Donetsk quando efetuava o voo MH17 entre Amesterdão e Kuala Lumpur.
As autoridades ucranianas e russas acusam-se mutuamente do abate do avião que terá sido atingido por um míssil terra-ar. Os rebeldes separatistas pró-russos têm sido acusados de impedir o acesso dos investigadores à zona da queda do aparelho, onde sacerdotes ortodoxos realizaram cerimónias religiosas fúnebres pelas 298 pessoas mortas no acidente.