Última hora

Última hora

Gaza: Palestinianos e Israelitas querem a paz

Em leitura:

Gaza: Palestinianos e Israelitas querem a paz

Tamanho do texto Aa Aa

As 12 horas de cessar-fogo acordadas entre o Hamas e Israel, a pedido das Nações Unidas, estão a permitir aos palestinianos procurar familiares e reabastecerem-se de víveres. Assistiu-se, ainda, a uma corrida aos bancos. Os habitantes da Faixa de Gaza estão cansados de conflitos e querem que a paz seja definitiva.

“Queremos umas tréguas de longo prazo. Não queremos esperar por um cessar-fogo dia-a-dia. Estamos, aqui, numa situação muito má. Somos desalojados e estamos a viver em escolas. As nossas crianças estão exaustas!”, exclama o palestiniano Alaa Zaied.

Outro palestiniano, Mesbah al-Sultan, conta que “quando disseram que iria haver 12 horas de tréguas, preparámo-nos para ir a casa pois se há tréguas, queremos sentir-nos livres. As nações árabes estão a dormir, estão sentadas, sem fazer nada – os reis e chefes de Estado. Deviam ter vergonha!”, exclama.

Também do lado de Israel o cansaço é evidente. Os habitantes de Telavive querem que de facto o cessar-fogo seja permanente e todos têm de trabalhar para a paz.

“Pessoalmente penso que estamos todos cansados desta situação. Creio que fizemos o que tínhamos de fazer, ambas as partes, não só Israel. Penso que temos de colocar fim a isto e terminámos os nossos assuntos lá”, diz o israelita Shahar Binon.

Para outro habitante de Telavive, Alex Guttman, “um cessar-fogo agora, o segundo ou terceiro, é como dar uma nova bala a alguém que tentou matá-lo e falhou, na primeira tentativa.”

Segundo os serviços de emergência da Faixa de Gaza, já morreu cerca de um milhar de palestinianos desde o início da ofensiva israelita a 08 de julho.