Última hora

Última hora

Gaza de luto no dia do fim do Ramadão

Em leitura:

Gaza de luto no dia do fim do Ramadão

Tamanho do texto Aa Aa

Esta segunda-feira é dia de celebração religiosa nos escombros de mesquitas na Faixa de Gaza. Muçulmanos de todo o mundo festejam o fim do Ramadão – o Eid al-Fitr – e o enclave palestiniano não foge à regra. A diferença é que aqui o mês sagrado foi de morte e destruição. Muitos procuraram refúgio nas escolas das Nações Unidas.

“É muito melhor quando estamos em casa, é muito mais divertido e as celebrações muito melhores. Guerra não”, diz uma criança palestiniana.

De acordo com o ministério palestiniano da Saúde, já morreram 1065 pessoas por causa da guerra, a maioria civis, mais 6500 ficaram feridas.

“Estou a viver a experiência de uma mãe que perdeu o filho, uma mãe que abre os olhos nesta celebração e não o encontra ao seu lado”, declara uma palestiniana num cemitério em Gaza.

O Eid al-Fitr é geralmente um momento de alegria e festividades, mas em Gaza e antes um momento de luto.

“Isto não é uma celebração. Não podemos chamar-lhe isso, é estado de choque e não o Eid”, afirma um homem ao lado do filho ferido num hospital.

Apesar de tudo, o dia está bastante calmo em relação às últimas três semanas. O Hamas pediu um cessar-fogo de 24 horas por ocasião do fim do Ramadão, Israel afirmou que apenas responderá aos “rockets” palestinianos.