Última hora

Última hora

Divulgadas alegadas imagens da queda do Boeing 777 na Ucrânia

Em leitura:

Divulgadas alegadas imagens da queda do Boeing 777 na Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Ainda não foi possível investigar com clareza o que aconteceu, há doze dias, ao avião da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia. Petro Poroshenko, o presidente ucraniano, reuniu com os responsáveis diplomáticos da Holanda e da Austrália para tentar concertar, mais uma vez, estratégias que permitam às equipas forenses chegar e trabalhar com segurança no local do acidente.

Entretanto, foram divulgadas imagens, que a Associated Press apresenta como autênticas, alegadamente do preciso momento em que o Boeing 777 se despenhou.

Em apenas dois dias, a missão internacional abortou por duas vezes as visitas ao sítio da tragédia devido aos combates que ainda se registam naquela região. O holandês Pieter Jaap Aalbersberg, o responsável pela missão, relembra o seguinte: “A principal prioridade é recuperar todas as vítimas. Se os especialistas encontrarem restos mortais, eles serão imediatamente guardados. Vamos recorrer a um comboio refrigerado. Se, por alguma razão, não conseguirmos aceder a ele, iremos arranjar outro transporte.”

Há, portanto, muitas dúvidas em torno dos esforços organizados para dar uma resposta àquilo que Navi Pillay, a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, já classificou de possível crime de guerra. Os líderes da Alemanha, França, Estados Unidos, Itália e Reino Unido concordaram em definir um conjunto de sanções contra a Rússia, acusada de continuar a fornecer armas aos separatistas, mesmo após a queda do avião da Malaysia Airlines.