Última hora

Última hora

Tráfico de órgãos humanos no rol de crimes dos rebeldes albaneses

Em leitura:

Tráfico de órgãos humanos no rol de crimes dos rebeldes albaneses

Tamanho do texto Aa Aa

A execução para extração e tráfico de órgãos humanos é um dos crimes que será julgado no rol cometido por rebeldes albaneses contra a comunidade sérvia do Kosovo, durante a guerra do final dos anos 90.

O procurador norte-americano encarregado do caso pela União Europeia (UE), Clint Williamson (do Grupo de Trabalho de Investigação Especial da UE), realçou, contudo, que esse crime teve uma escala muito pequena.

Williamson disse, esta terça-feira, numa conferência de imprensa em Bruxelas, que “um punhado significa literalmente dez casos. Tenho falado com Dick Marty e penso que a informação que temos é consistente com a que ele obteve no seu relatório. Por isso, este é o número aproximado de casos”.

Dick Marty foi o relator de uma investigação do Conselho da Europa, em 2011, que considerava haver indícios do envolvimento em crimes de guerra de altos líderes do então Exército de Libertação do Kosovo. Entre eles, Hashim Thaci, eleito primeiro-ministro do Kosovo em 2007 e ainda no cargo.

Sobre a investigação, Williamson confirmou, ainda, que “é justo dizer que há fortes indícios de que ocorreram ações para intimidar ou influenciar indivíduos que são testemunhas ou potenciais testemunhas neste caso.”

Os nomes dos acusados e os crimes em concreto continuam em segredo de justiça até à criação de um tribunal especial, em 2015, possivelmente na Holanda.

A guerra do Kosovo terá matado 10 mil albaneses e dois mil sérvios e terminou com a intervenção da NATO.