Última hora

Última hora

Comunidade internacional incentivada a duplicar número de tigres

Em leitura:

Comunidade internacional incentivada a duplicar número de tigres

Tamanho do texto Aa Aa

Os peritos mundiais estimam que a população de tigres selvagens caiu cerca de 97% desde 1900.

A 29 de julho comemorou-se o “Dia Internacional do Tigre.” Os ecologistas não deixaram passar a data em claro, aproveitando a oportunidade para alertar para os problemas da espécie, em vias de extinção.

Não se sabe ao certo quantos tigres vivos existem atualmente. Em 2010, a população mundial estimava-se em 3200, o que faz do tigre um dos animais mais ameaçados do planeta.

Joseph Vattakaven, do World Wide Fund for Nature, tem dúvidas se este número é ou não real: “Em primeiro lugar, este número corresponde a 2010. Por isso, a situação pode ter mudado muito em quatro anos. Em segundo lugar, não sabemos se o número de 3200 exemplares era real. Podia ser um número aproximado, porque muitos Governos e organizações esforçaram-se para duplicar a população de tigres para o próximo ‘Ano do Tigre’, em 2022. A não ser que se contabilizem periodicamente não saberemos se nos estamos a aproximar desse objetivo ou não.”

Atualmente, a Índia recorre à mais recente tecnologia para estimar o número de tigres. Usam-se câmaras cuidadosamente instaladas para observar os tigres no habitat natural. Os aparelhos encontram-se nas árvores, localizadas nos caminhos usados pelos felinos.

São concebidos para capturar fotografias e vídeos quando aparecem os tigres. Atendendo ao facto de que os animais têm vários padrões de riscas, os ecologistas podem estimar a população existente em determinadas regiões.

Os peritos insistem para que os países continuem os esforços e comecem a contabilizar as respetivas populações de tigres selvagens.

Assim poder-se-á ter um número exato, pelo menos até 2016. Seria um passo significativo na concretização do objetivo de duplicar o número de tigres para o próximo “Ano do Tigre”, em 2022.